Posts com a Tag ‘Lei do retorno’

A lei do retorno nunca existiu…

- sábado, 14 de fevereiro de 2015

esther É bom que fique bem claro… Essa lei é mais uma falsa premissa criada por quem resiste ao fluxo de Bem Estar. Ninguém colhe no amanhã, isso não existe, tudo é resposta a sua vibração de agora. Eu não tenho um efeito de uma vibração de uma hora atrás, eu tenho efeito do que eu penso agora. O que confunde as pessoas é que uma doença é o resultado de muitos momentos se sentindo mal e continuando a perpetuar repetindo isso mais vezes. Um exemplo claro. Eu pensei numa coisa e foquei no que eu não queria, na ausência de Bem Estar nesse objeto de foco, eu me sinto mal que é o natural. Mas, eu não liguei e continuei focado nisso por mais de 17 segundos, nessa mesma coisa que não me trás mais Bem Estar agora, então eu sinto de novo a ausência do Bem Estar e tenho um desconforto ou mal estar. Mas eu parei por um momento de apreciação, apareceu você com um sorriso farto e eu sorri para você, que é um poderoso alivio, alguma coisa que parou de fazer com que aquilo que já criei e que me fazia sentir um mal estar a ser mais, e agora eu estou bem. Mas, no momento seguinte eu volto a pensar de novo naquilo que eu não quero, e como tudo que eu foco eu sempre o transformo em mais, aquilo que antes era um desconforto que está crescendo com o meu foco de agora, vira uma doença, não porque eu comecei a pensar nisso a um mês atrás, mas é que nada pode ser menor do que já é. Entendeu? Cada foco meu faz isso se tornar mais agora. Se você parar de focar no que não quer, jamais sentirá o efeito indesejado, que você já criou e que sempre vai existir… Você não precisa fazer isso sempre se tornar mais… Use suas escolhas de onde focar para ser mais…

Todos merecem tudo o que tem…

- terça-feira, 12 de março de 2013

Fomos educados a acreditar na mentira de que devemos fazer coisas, para merecermos algumas coisas. Você tem que ser bonzinho, você tem que estudar para merecer, passar para merecer, trabalhar duro para merecer, ser honesto para merecer, ser temente a Deus para merecer ou ter uma religião qualquer. Tudo uma definição do próprio homem, limitando a sua própria liberdade de escolhas, sua felicidade nata e sua expansão por direito.

E quando descobrimos isso na vida real. Quando vemos o presidente Bush, mentir descaradamente, invadindo países e matando milhares de pessoas “inocentes”, só para a sua família ficar mais rica com o petróleo. Quando vemos o Sarney fazer as coisas que a imprensa disse que ele fez, só para sua família se dar sempre bem, e que se dane o Maranhão. Quando vemos o jornalista Pimenta Neves, assassino condenado, passar anos solto, só pegar cadeia 11 anos depois e assim mesmo, ainda poder ficar livre em menos de dois anos, voltando a se dar bem. O lula sair livre do mensalão, condenados assumirem cargos de deputados e senadores, fazendo festas comemorativas com o nosso dinheiro. Quando vemos um pedágio ambulante, um pastor homofóbico, préconceituoso, ignorante e arrogante assumir a presidência dos direitos humanos, e se até sair, vai continuar a se dar bem, exigindo senhas de cartões dos fieis, para só então Deus lhes abençoar e se reeleger com o voto de gente mais ignorante do que ele mesmo. Ai! Meu caro amigo, você endoida de vez o cabeção, fica com; pessimismo, frustrado, irritado, duvída de tudo e de todos, quer vingança, fica com inveja do que eles conseguem em salários e beneces, se sentem inseguros, desvalorizados e antes mesmo de passar a ter medo de tudo ou ficar deprimido. Ficam se perguntando cadê o bendito merecimento? Eu sou muito bonzinho e não ganho nada?

Eu mesmo decidi, me treinar mais, a cada momento em que eu me deparar com um contraste, como essas pessoas e isso tudo que sei que não quero mesmo, sem julgar, sem me justificar por estar encontrando isso, sem ficar com raiva ou querendo ser contra.

Eu apenas reconheço conscientemente que, isso é o que eu não quero. E então, parto imediatamente pra pensar sobre o que eu mais quero e, procuro sentir isso que eu muito quero, como se já fosse bem real, procuro falar mais sobre o porque que eu quero isso e descrevo minuciosamente, explico o máximo, chego a fingir já ter conseguido isso e de uma forma que isso me pareça ser muito real mesmo, e continuo pensando sobre isso até que, eu mesmo consigo esse ponto de atração onde, eu sinto isso fervilhar em alegria, aqui e agora, dentro de mim.

Nunca disserem para nós que, o meu, o seu pensamento vibra, e que, é a minha vibração de aqui e agora, é o que faz eu mesmo merecer o que vem pra mim, aqui e agora. As pessoas ainda acreditam numa lei idiota inventada pelo homem que todo mundo enche a boca para falar em lei do retorno. Existe sim a Lei da Causa e Efeito. Mas, se eu mudar, fizer outra causa o efeito também muda. E para eu jamais receber o efeito da causa anterior, basta eu jamais voltar a focar ou dar a minha atenção a essa causa. A vida está repleta de exemplos disso. As pessoas esperam uma justiça divina. Só que ninguém voltou para dizer, se mais essa falsa premissa funciona mesmo…

Afinal o que é o merecimento? Em termos muito simples, significa que, eu encontrei uma maneira de deixar a energia do Bem Estar chegar a mim, essa energia que é natural para todos os seres, eu permito ela me alcançar. Ser merecedor, ou indigno, é algo que é apenas vibrado por mim, aqui e agora. Eu sou o único que pode julgar, o que é digno ou indigno pra mim. Eu sou o único que posso me amar, me apreciar em um estado de permissão, ou até de ficar preocupado, com raiva e até odiar a mim mesmo, que me coloca em um estado de não permitir. E assim como não há algo errado comigo nesse momento, também não há algo errado com alguém que não está me amando, agora. Estamos todos nós, apenas nesse exato momento, praticando a arte de não permitir, ou a arte de resistir ao fluxo de energia da Fonte do Bem Estar.

Para eu mesmo voltar a merecer e receber, tudo e qualquer coisa que eu mesmo escolho experimentar, fisicamente, aqui e agora. Basta eu mesmo procurar um “alivio” qualquer e voltar a ter, sentir; uma esperança qualquer na vida, e começar a apreciar mais, procurando ser sempre mais livre, amar mais a mim mesmo e me sentir muito mais poderoso e alegre, aqui e agora.