Posts com a Tag ‘raiva’

CIRCUNSTÂNCIAS NUNCA IMPORTAM…

- sexta-feira, 23 de junho de 2017

ESCALA EMO 3 Eu jamais preciso me preocupar com qual é a minha vibração de agora, se a minha vibração for de conexão. Ou seja, eu posso ficar com raiva em algum momento, posso até ficar triste, porque se a minha vibração é de conexão, eu vou dominar a vibração. É isso que eu pratico com os meus muitos relacionamentos no meu dia a dia. O que a maioria das pessoas ainda não entende, é que, eu só consigo controlar a maneira como eu me sinto agora, porque eu consigo escolher os pensamentos que eu penso. E isso eu relembrei com o acesso a Fonte, Abraham.

A maioria das pessoas ainda pensam, que só se têm a opção de responder às circunstâncias que as cercam. E é isso o que as fazem tentar o impossível, que é controlar as circunstâncias em torno delas, o que só realimenta mais, o seu sentimento de frustração e vulnerabilidade, porque não demora muito, pela própria experiência de vida, se descobrir, que ninguém pode controlar todas essas circunstâncias momentâneas. Mas, qualquer um pode controlar a sua própria vibração. E quando se controla a vibração, qualquer pessoa está realmente livre e sente o seu real poder, de voltar ao seu natural Bem Estar.

Na praia eu me divirto muito brincando com isso. Eu vejo uma mãe brigando com seu filho, aquilo me incomoda, e se eu deixo o meu foco por 18 segundos em cima disso, eu já fico com “raiva”. A é nesse momento que eu subo na escala emocional deliberadamente, eu primeiro “acuso” ela mentalmente, penso, que filha da puta! E já pulo, fazendo uma conexão para o “desapontamento”, e assim penso, jamais se trata uma criança assim, e já pulo de novo, pensando agora “irritado”, nessas horas dá vontade de esganar essas raparigas, e por já estar subindo, quase na porta do Bem Estar, eu já sou sugado pela porta da “esperança”, entrando no meu vórtice, e quando foco de novo a praia, nada mais existe daquilo ao meu lado, só o meu natural Bem Estar.

O desejo de me conhecer melhor…

- terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

A primeira coisa que eu mesmo precisei muito, foi perceber e conceber que. Somos todos, energias que vibram. Tudo a minha volta é, apenas mais energias que vibram… Então, só assim eu aceitei que, cada célula desse meu corpo físico, tem uma relação muito direta com a força criativa da vida. E cada célula é completamente independente para responder a esse fluxo ininterrupto de energia de Bem Estar, que vem dessa Fonte que cria mundos. Como indivíduos, somos núcleos dessas células, dessas mesmas energias, também totalmente independentes. O fluxo de energia está aberto para todos; alguns se mantém muito fechados, outros apenas ficam um pouco abertos, alguns mais um pouquinho abertos e até chegar aos que são o mais abertos o possível, para que essa energia do fluxo possa fluir e, criar a expansão do Universo.

Quando eu sinto uma alegria qualquer, todos os meus circuitos estão abertos e, a força da vida ou a energia do Universo, agora pode ser totalmente recebida e fuida por mim, para o meu próprio mundo, aqui e agora.

Agora! Quando eu me sinto culpado ou culpo alguém, quando eu sinto muito medo ou raiva de alguma coisa, as minhas células, nesse momento, são impedidas de estarem receptivas, e assim a força da vida, a energia que cria mundos, não pode fluir de forma tão eficaz. Ai está a verdadeira razão, para todas as doenças do mundo, inclusive o câncer.

Essa minha experiência física, aqui e agora. É uma viagem totalmente emocional, é uma espécie de automonitoramento dessas minhas muitas emoções. E quando eu mesmo, me divirto muito de brincar e de manter, todo esses circuitos muito bem limpos, sem nenhum tipo de resistência ao fluxo e assim, mantê-los o mais aberto possível. As minhas células que também desejam, e que já sabem muito bem o que fazer, com toda a energia que flui, então elas me mantém muito bem saudavel. Porque elas independentemente, estão convocando essa Energia do fluxo de Bem Estar da Fonte que cria mundos, a todo instante, a cada momento. Mas, sou eu quem está no comando, permitindo ou resistindo… A tudo o que é.

Marcas de uma emoção ainda no útero de sua mãe…

- segunda-feira, 5 de março de 2012

Realmente um bebê ainda no útero já copia vibrações, não só da mamãe, mais de todos a sua volta, e isso pode trazer sim, várias experiências agradáveis e outras até desagradáveis, e que pode ser para todos os envolvidos nessa cocriaram de pensamentos e sentimentos durante todo esse período, inclusive ou principalmente para o bebê, que só copia vibrações, mesmo ainda na barriga de sua mãe.

Vamos a um exemplo simples; o bebê pode copiar muito forte um sofrimento de sua mãe, e ele mesmo pode impedir que as suas células façam o que tem que fazer, e assim o bebê pode nascer com problemas físicos ou com doenças graves por deficiência de formação das células que, apenas podem deixar fluir o Bem Estar.

Então quando as células em formação sentem resistência ao Bem Estar desse corpo físico, mesmo ainda bebê, elas ficam impedidas de agir por si só, elas só podem agir novamente na hora do sono profundo do feto, quando elas as células voltam a ter contato direto com a Fonte.

Outra coisa que pode acontecer é, a criança ao nascer já vir a esse mundo com uma grande crença negativa de que não é amada, isso, se ela recebeu muitas e muitas vibrações de; acusação, raiva, vingança, culpa, desespero e medo, seja dos seus pais individualmente ou em conjunto, e até de terceiros, quando alguém da família também toma partido nessa situação durante todo esse período de gestação.

E isso pode afetar anos de vida de alguém, geralmente quem ainda está ou permanece focado nessa relação, no caso da criança ela pode levar ou não isso para sua fase adulta, menos aqueles que não dêem mais atenção a essa relação que, pode ser qualquer um, o pai, a mãe ou os dois, ou até um dos dois e a própria criança.

Vamos então a como expor uma crença negativa como essa que, ainda te faz sofrer, ao ridículo. O primeiro passo é entender que tudo na vida é uma opção de escolhas, e que você as tem agora.

Para tirar energia de uma crença dominante é preciso aceitar que ela existe e passar a deixá-la lá num cantinho do seu subconsciente, para que ela seja tida, só como, mais uma das escolhas que você jamais quer voltar a escolher.

Então, agora é mão na massa, começar a procurar evidencias disso, seja pela internet ou pessoalmente, que isso é apenas uma escolha atual sua, de voltar a pensar e a sentir o que você mesma sentiu durante o período que isso aconteceu nos seus nove meses de formação.

Você encontrará na vida diária e verá que realmente tem muitas e muitas crianças felizes, mesmo que os pais delas tenham se odiado durante todo o período da gravidez, e que elas escolheram pensar e sentir o que tem de bom na vida, e que entenderam claramente que isso não é culpa dos seus pais e nem delas, como também não é sua, isso que todos sentiram naquele momento, foi só mais uma experiência de vida, dolorosa, mais que você pode agora a usar como mais contraste, para agora focar em sua experiência feliz em um dia ser mãe, sem jamais ter de passar por essa experiência outra vez.

E agora por você já saber o que quer, e assim pode não só se perdoar, como a seus pais, pensando que talvez a vida só os fez passar por tudo isso, quer por imaturidade ou circunstâncias momentaneas, e nem é porque eles desejassem isso, mas porque eles não sabiam que tinham escolhas, como você mesma não sabia até agora, e eles com esse desfecho, te deram a você mais essa escolha maravilhosa, a de agora ser feliz, sem precisar copiar e continuar a sentir mais vibrações negativas.

Você depois de procurar e encontrar por evidencias de escolhas diferentes as suas, essa que era de você mesma voltar a pensar e sentir sempre a mesma coisa, se você as vivenciar, emotizar essas experiências alheias de sucesso, esse pensamento tomará aos poucos a energia daquela crença negativa que você mesma a deixou quietinha lá no fundo, e criará uma imensa crença positiva dominante de que, você é poderosa e que tem sempre muitas e muitas escolhas, então escolha agora a ser feliz.