Posts com a Tag ‘Moda Intima’

OBJETIVO DE VIDA…

- sábado, 31 de agosto de 2019

Brainstorming-1 O objetivo de minha experiência de vida é a expansão alegre que advém sempre das novas ideias que nascem de dentro do meu próprio vórtice criativo. A parte de expansão disso é inevitável. A parte alegre é sobre como eu mesmo estou acompanhando a expansão. E nada melhor que ter ideias e vê-las prosperarem em uma alegre e abundante diversão…

Eu sempre fui um homem de muitas ideias, e sempre me diverti muito expandindo cada uma delas, onde quer que eu estivesse no momento. Foi assim quando criei a campanha “Sorria Manaus”. Foi assim quando tive a ideia de montar uma editoda e lançar o primeiro jornal de classificados grátis do Brasil, o “Classitudo”, depois o “Classirural”. O Primeiro jornal feminino “La Famme”. Foi assim quando criei o primeiro “Supermercado de Moda Intima” do Brasil em Friburgo…

E eu ainda mudei a economia de Friburgo, quando a tirei da eminente falência, com a ideia da campanha “Friburgo a Capital da Moda Intima”. Eu ainda tive a ideia de mudar para melhor toda a orla de Boa Viagem no Recife e criei a agência de publicidade “Mídia Praia”. Muita gente ainda se diverti na minha ideia do jogo Attraction, nessa minha outra ideia que é a rede social VibreLeve, e agora com a ideia de fazer isso virar app para IOS e Android…

EU SEMPRE TIVE BOAS IDEIAS…

- sexta-feira, 24 de agosto de 2018

ideias novas Eu me lembro que sempre quando estive realmente no meu natural fluxo de Bem Estar, mais alinhado com o meu Ser Interior, as ideias vinham facilmente e elas sempre foram muito fáceis de implementar. Foi assim com a ideia da minha primeira agência de publicidade ENC, da campanha “Sorria Manaus”, a ideia de montar minha própria editora, a ideia do meu primeiro jornal, o “CLASSITUDO”, um jornal só de classificados grátis, o primeiro do Brasil. Foi assim com a ideia do primeiro supermercado de Moda Intima do Brasil. Foi assim com a ideia da campanha “Friburgo Capital da Moda Intima”. É sempre foi muito divertido enquanto eu estive nesses muitos processos de realizações, e nem mesmo importava como tudo se desdobrava; nada podia dar errado, e nem me importava quando eu não fazia alguma dessas muitas ideias que tive, ser realizada, mas tudo era muito divertido quando eu fazia elas ganharem vida. E é verdade o que os Abraham me relembram todos os dias: O meu Ser Interior nunca sente limites. Então, qualquer coisa que se pareça com limites é sempre algo autoimposto. É uma escolha minha. Sou eu mesmo me limitando…

O AGORA! É SÓ PRA SER AINDA MAIS FELIZ…

- sexta-feira, 4 de maio de 2018

rindo 4 Eu me lembro daqueles tempos, em que eu estava tão ocupado em ganhar o meu dinheiro, que eu não tinha tempo pra ser feliz. Uma hora eu tinha uma; editora, jornais e uma agência de publicidades, pra tocar, e o resto do tempo era dedicado exclusivamente a minha religião. Eu era além de; empresário, publicitário e gerente de turismo de minha cidade, também um dirigente budista que viajava quase que todos os finais de semana em função da organização budista, estudava os goshos e ainda fazia as provas para ser dirigente religioso, fora as viagens de negócios durante toda a semana, mês a mês. Depois veio a minha campanha publicitária. “Friburgo Capital da Moda Intima”, onde eu além de divulgar a cidade, eu tinha um jornal informativo das confecções de lingerie, um supermercado de moda intima em Friburgo, mais uma loja no Rio, em Ipanema e outra em São Paulo, no alto da Moca, e ainda continuava a ser dirigente budista, agora com um cargo maior e com mais responsabilidades e mais cidades para visitar e dar palestras semanais… Que loucura…

E realmente eu acreditava tanto em minhas ações físicas, para criar tudo aquilo que eu tanto queria, que eu já não tinha literalmente mais tempo pra nada, que até o tempo em que eu criava ou encontrava, para levar os meus filhos ainda pequenos para uma praia, pra nos divertir, eu já me encontrava cansado demais pra desfrutar toda a minha criação, que eu era até muito magro fisicamente. Hoje, tudo já é muito bem diferente, além de eu entender e aceitar que existe muito mais poder do que eu imaginava nos meus pensamentos, que o meu cérebro é só um mecanismo de foco, eu também passei a direcionar mais, focar e dar mais atenção, conscientemente e deliberadamente, a todos os meus pensamentos, e sempre apenas na direção, das coisas que eu ainda desejo, e foi assim que eu descobri, que a minha ação física é apenas uma minúscula parte de toda a criação que é a vida. E agora, tudo flui muito mais; fácil, divertido e alegre, e eu ainda posso desfrutar e apreciar mais, as melhores coisas dessa vida…

POR QUE SER APENAS MAIS DO QUE É?

- sábado, 9 de dezembro de 2017

Napoleão e Gabriel Eu estou me divertindo muito em Friburgo já há alguns dias, estou revendo meus parentes e amigos, e estando em uma cidade pequena é bem mais fácil de se encontrar com todo mundo, adorei fazer meu tour gastronômico pela cidade, e ouvir o que as pessoas mais pensam durante o seu dia a dia, transformando isso em suas crenças e as realimentando mais. Para quem ainda não conhece Friburgo, ela é uma cidade bonita e maravilhosa de se conhecer, as pessoas são; bonitas, maravilhosas e amigas, porém muito saudosas, elas vivem mais do passado do que do presente, e é uma cidade onde a grande maioria ainda são bem mais observadoras reagentes, do que criadoras deliberadas, elas ainda vivem sendo comandadas, apenas por alguém que impõe suas ideias, mesmo que essas ideias sejam tolas, e assim a cidade sempre é muito mais do que já é, ela não muda muito, ela é sempre mais de tudo o que é…

E vendo tudo o que eu venho presenciando aqui, acredito mesmo que essa cidade maravilhosa em que nasci, ainda é um local muito fértil e ainda muito fácil de se divertir de comandar as pessoas sem que elas percebam, como eu já fiz quando à transformei na “Capital da Moda Intima”. Eu percebo que se alguém encontrar um jeito qualquer, de fazer com que as pessoas daqui reduzissem a sua carga de trabalho em apenas 30% e aumentassem a sua carga de diversão em 30%, todas elas aumentariam suas receitas em 100%. E todos aumentariam sua produtividade em até mais que 10.000%. Quanto mais divertido a coisa for, menos luta é preciso e muito mais resultados todos teriam em todas as suas frentes…

A OBSERVAÇÃO QUE MUDA TUDO…

- sexta-feira, 28 de julho de 2017

obsercação positiva Eu tinha vendido a minha editora junto com os dois jornais que me davam dinheiro, meus filhos ainda eram muito pequenos, o Brasil sofria as loucuras do Collor com a Zélia confiscando o dinheiro das contas bancarias de todo mundo, e a minha cidade, Friburgo estava falindo, suas maiores fabricas estavam fechando as portas, e para a maioria das pessoas, a observação delas era só para isso, o que é… Mas, para mim, minha observação era completamente diferente. Eu procurei enxergar o que ainda dava folego financeiro a cidade no meio de todo aquele caos. E foi daí que eu passei a observar “Friburgo, Capital da Moda Intima”.

Eu observei o que ninguém observava, eu observei as confecções crescendo, uma cidade com um novo rumo, uma recuperação da economia, as pessoas tendo orgulho do que faziam. E olha que nem mesmos os próprios confeccionistas acreditavam nisso, eles me diziam assim… Cara, como você pode pensar em Capital da Moda Intima, se a maioria só faz produtos sem qualidade, tem gente que bota lacinho em cuecas, todo mundo só trabalha com sacoleiras próprias em outras cidades.

E eu dizia, pro Paulo De Chelles, hoje dono de uma das maiores confecções. Mas, tem gente que produz qualidade como você e sua esposa, e quem já bota lacinhos em cuecas, já está prevendo o mercado gay que está crescendo, e as sacoleiras virão comprar em Friburgo. Eu já havia decido montar um jornal só com propaganda das confecções, e ainda montei “o primeiro supermercado de moda intima”, do mundo. E em pouco tempo lá estavam os ônibus chegando, as confecções melhorando, a Dupont do Brasil e as fabricas de tecido, enxergando Friburgo, e até os políticos da cidade e do estado do Rio, que não tinham acreditado, lhe deram o título oficial, de “A CAPITAL DA MODA INTIMA”.

EU JÁ NASCI DESEJANDO MAIS…

- segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Dupla fenda VL A minha vida toda eu sempre desejei mais, eu já realizei muitas coisas, eu já tive muitas ideias maravilhosas, eu já bati muitas e muitas metas, que para muitos eram impossíveis, e também já criei do nada, muitas e muitas coisas maravilhosas. Foi assim desde que eu era muito pequeno, quando eu comecei a dar valor a minha própria felicidade e a minha liberdade. E isso começou com o primeiro encontro com o lado da falta dos contrastes, que eu comecei a encontrar pela vida, eu me sentia preso com a religião maluca da minha mãe, em não ter dinheiro para meus desejos, era tudo para a igreja, minha mãe era uma testemunha pagante, de alguém que não precisa, sem nunca ter visto a briga.

E assim aos oito anos eu comecei a empreender, eu já era o engraxate mais novo da cidade e que ganhava mais dinheiro, até dos mais velhos que tinham seus pontos fixos, ao mesmo tempo montei o meu primeiro carrinho de entrega de compras das feiras, as mulheres me adoravam, eu além de cobrar, ainda ganhava muitas e muitas gorjetas, lanches maravilhosos e amigos de verdade. E assim, eu já tinha a minha liberdade financeira muito cedo e muita gente que já defendia a minha felicidade e minha liberdade. Sai de casa aos treze anos e comecei a montar os meus próprios negócios, tive muitos; uma prestadora de serviços de eletricidade, várias agências de propaganda em vários estados, distribuidora, gráfica, editora, vários jornais, o primeiro jornal de classificados grátis do mundo, várias revistas, restaurantes, bares, lojas de lingerie, o primeiro supermercado só de moda intima, feiras de lingerie, criei muitas campanhas para políticos, campanhas publicitárias nacionais, como; “Sorria Manaus”, “Friburgo Capital da Moda Intima”. Criei o primeiro abridor de sachês, outdoor de praia, agência de mídias alternativas, blog, aplicativos, a rede social VibreLeve, o protetor de phone de ouvidos e continuo tendo muitas ideias e criando mais coisas do nada.

Tudo porque é isso o que chama a energia da vida para passar por mim e voltar a Fonte de energia e informação de puro Bem Estar, em eterna expansão. Disso tudo o que eu já fiz e continuo fazendo, a coisa mais importante é e sempre foi, a força da vida fluindo através de mim, e nunca foram os eventos em si e muito menos as realizações. Tudo isso que fiz e faço é porque todas as coisas chamavam mais a energia da vida que cria mundos a fluir por mim, aqui e agora. E é isso o que faz eu sempre me sentir mais; vivo, feliz, livre e expansivo…

CONTROLAR E EXCLUIR, SÃO CRENÇAS RESISTENTES…

- quinta-feira, 5 de março de 2015

eu itamaraca Os Abraham sempre me relembraram que a minha própria experiência é o único aprendizado valido nessa vida. E como eu mesmo criei e realizei muitas coisas, montei muitas empresas e tive muitos negócios, eu pude comprovar que tanto tentar controlar pessoas, como elimina-las da minha vida, só me trazia mais gente não exatamente igual, mas um pouco mais resistente do que eram as que eu queria excluir ou controlar. Já teve momentos que eu fui ao mesmo tempo, chefe de distrito na BSGI, sendo responsável por muitas e muitas famílias, isso em mais de 12 municípios do estado do Rio de Janeiro, e ainda tendo de administrar o meu supermercado de moda intima em Friburgo, onde eu lidava com mais de 81 confeccionistas, foram as funcionarias e as outras das minhas lojas no Rio e São Paulo, fora um jornal mensal e a campanha publicitária para divulgar Friburgo como a Capital da moda Intima, que envolvia; fabricas de elásticos, rendas e tecidos, fora o restante dos mais de 900 confeccionistas que eu tinha catalogado da cidade, eram muitas gente envolvida nessas minhas várias experiências simultâneas de vida. Sem eu me treinar em ser um permissor, nunca seria possível manter tanta gente junta, feliz, livre e expansiva, no que elas faziam. Isso fora a minha família.

E eu descobri isso na pratica, no meu dia a dia, que eu só posso incluir mais, para isso eu tive que entender como é ser mais consciente e deliberado em; pensar, sentir e focar mais, apenas no que eu mais queria desde muito cedo. Como eu nunca abri mão da minha liberdade desde criança, e eu consegui fazer essa proeza de me divertir mais e ainda ser muito feliz no meio de uma seita muito, louca, controladora, resistente e reagente, chamada Testemunha de Jeová, foi bem mais fácil para mim, eu mesmo desbravar esse mundo maravilhoso repleto de contrastes, e eu comecei a fazer isso quando sai de casa com meus 13 anos e fui morar na rua em Manaus. Outra coisa que eu senti na pele é que, sempre que aparecia alguém me oferecendo ajuda, eu sempre me ferrava mais, era só eu aceitar ajuda de alguém. Quando eu só aceitava a alegria das pessoas eu sempre progredia mais. Todas as pessoas que acreditavam que podiam me ajudar, na verdade só queriam ter mais companhia na vida pequena e chata delas, ela só veem mesmo, os problemas nos outros e assim não veem os delas ou os justificam com seu foco no querer resolver os dos outros, e ainda tentam controlar todo mundo com suas próprias crenças resistentes, e quando não conseguem, tentam eliminá-los de alguma maneira de sua vida. Mostrando assim, toda a sua resistência ao fluxo de energia e informação de puro Bem Estar.

A Lei da Atração em ação… Realizando desejos…

- terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Sacoleiras Eu tenho uma amiga em Recife que já foi gerente de algumas padarias, nas quais eu ia tomar meu café da manhã, quase todas iguais, uma foi copiando a outra, e hoje elas tem um farto café da manhã self service, como nos bons hotéis, umas cobram no peso outras por pessoa. Ela sabendo que eu tenho uma filosofia de vida diferente, baseado em primeiro ser feliz e depois qualquer coisa fica bom. me pediu umas dicas para melhorar o atendimento já que no final de ano eles trabalham mais e é muito desgastante. Se eu tinha uma ideia para alegrar mais a padaria e todos participarem com mais alegria.

Eu me lembrei e contei o que eu fazia quando eu tinha um grande supermercado de Moda Intima em Friburgo, onde eu só tinha um funcionário homem, o resto eram todas mulheres, e elas trabalhavam de domingo a domingo inclusive nos feriados. E tinha dias de estarmos fechando e chegavam vários ônibus que tinha um que quebrou na estarda e todos ficaram esperando para vir em comboio do Nordeste. Eu as reunia e juntos decidíamos quem poderia ficar e até chamar outras que estavam de folga, para ganhar um extra atendendo essas mulheres, as vezes mais de 220 sacoleiras loucas as compras, elas compravam para revender em suas cidades. E ficávamos sensibilizados com a viagem cansativa delas.

Minha gerente nessa época me pediu a mesma sugestão, então eu comprei um sino desse de igreja, e coloquei no caixa da loja bem do lado de uma “caixinha de desejos” onde as pessoas podia também mostrar sua gratidão pelo bom atendimento e alegria que as vendedoras, as mulheres que as atendiam. todas sorridentes e com muita paciência, dando até sugestões sobre o que vendia mais para as sacoleiras novatas. Então, quando uma sacoleira ou até uma turista comprava e ia pagar no caixa do supermercado e botava um gorjeta na caixinha de desejos das vendedoras, se tocava o sino e todas as vendedoras gritavam da onde estivessem… Muito Obrigado, quando o sino tocava várias vezes por ter mais gente colocando dinheiro na caixa dos desejos, as vendedoras alternavam com; “Muito obrigado felicidade” e “Eu adoro realizar desejos”. E assim todos ficavam muito mais felizes…

Os Abraham só confirmam mais que eu estava certo…

- segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Dupont-Lycra Quase tudo começa no encontro com os contrastes. Eu adoro criar coisas do nada, eu estava querendo ir embora de Friburgo, tinha vendido a minha editora e os jornais quando veio mais um filho e minha mulher agora mais ainda, não queria ficar longe da família. O comércio da cidade estava quase quebrando porque as grandes fabricas que eram os carros chefes dos empregos na cidade começaram a falir, o presidente Collor tinha liberado as importações e como Friburgo era praticamente comandada por grandes industrias fornecedoras de autopeças da área automobilística de São Paulo e até a Ypu que fabricava peças em couro também falindo, tudo estava indo pro brejo.

Essa era a hora de foco e escolhas. Foi quando eu notei que o irmão do meu sogro, o Silvio Montechiari, já tinha um grande depósito a Silvetex, só de matéria prima para moda intima, lingerie, e estava prosperando a olhos nus, ele empregava quase que a família toda, era a única coisa que eu via crescer na cidade, outros depósitos concorrentes estavam abrindo e crescendo rápido também. Pedi ao meu pai que tinha sido delegado do IBGE em Manaus, que fizesse uma pesquisa para mim, coloquei o primo da minha mulher que já trabalhava comigo em publicidades, pesquisando de rua a rua, para saber onde estavam essas confecções que não apareciam no mapa, e o que elas faziam, inclusive pedindo uma amostra, depois pedi ao Silvio a sua permissão para ver se eu não tinha deixado alguma confecção sem cadastrar, as mesma coisa fiz com os outros depósitos de Lycra.

Capital Ligerie Agora que entra a Lei da Atração, Uma grande academia, a maior da cidade, estava fechando porque seus clientes eram da maioria das fabricas que estavam fechando. Ela tinha dois salões enormes, e um corredor muito estreito até a rua, mas era muito bem localizada na praça Getúlio Vargas, a principal da cidade, propus ao dono um novo negócio, se ele concordasse arrumaríamos mais um sócio para financiar toda as mudanças e equipamentos, e montamos o primeiro supermercado de moda intima do mundo, que atendia as sacoleiras e aos turistas. Montei uma campanha “Friburgo a Capital da Moda Intima”. Consegui com grandes fabricas de tecidos e elásticos patrocinassem grandes outdoors de estradas, para as principais estardas que ligavam aos outros estados e algumas indicando o caminho para a cidade e até outras na serra dando Boas Vindas à Capital da Moda Intima.

A maioria dos políticos da cidade não deram bola, até os confeccionistas não acreditavam no que viria a acontecer. Em pouco tempo a cidade começou a receber ônibus de sacoleiras do Brasil todo, o nordeste era de onde mais ônibus chegavam. A cidade começou a ganhar nova vida, trazendo turismo de compras e as confecções que antes tinham suas próprias sacoleiras nas cidades que elas atendiam, começaram a se legalizar, ganhar olhos dos políticos, do SEBRAE e até da Dupont do Brasil que montou um centro de informação Lycra na cidade, dando suporte as confecções e um selo de qualidade Lycra agregando valor as peças. E a cidade se recuperou economicamente. Adoro ouvir os Abraham falarem que, as minhas metas financeiras são muito mais que apenas a mudança da minha vida, é até maior que a minha própria expansão e também a expansão de muita gente envolvida no que eu faço, eu fico rindo e apreciando tudo o que já fiz e ainda faço.

As coisas que são mais importantes para mim…

- segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Radio Sucesso FM Friburgo Minha vida sempre foi normal para mim, embora muito louca para os outros observadores, eu desejava coisas novas, até coisas que nem existiam antes e aos poucos o Universo ia conspirando ao meu favor. Então, nesse exato momento mais pensamentos apareciam, até pessoas que me ajudariam em todo o processo e toda a execução, e do nada apareciam mais coisas e até eventos semelhantes aconteciam como mágica, tudo para que eu pudesse; focar, apreciar e realizar, todos os meus desejos, por mais malucos que fossem.

Foi assim quando eu resolvi voltar para Friburgo, depois de fugir de casa e ter morado muito anos em Manaus. Uma radio FM apareceu do nada e lá estava eu, no dia de iniciar as vendas de anúncios para a Radio Sucesso, eu abri minha pasta e já tinha a assinatura de quase que todas as maiores empresas da cidade anunciando comigo, só tinha que colocar os valores, eu ganhava tanto dinheiro que até emprestava parte da minha grana para que um dos donos da rádio, pudesse pagar seus funcionários (foto) em dia, a maior parte da grana que ele recebia era para pagar os equipamentos, antena e vólvula caríssima. Foi assim com a minha primeira agência de publicidade a ENC. Foi assim com o primeiro jornal de classificados grátis do Brasil “Classitudo”. Também foi assim quando montei a campanha “Friburgo Capital da Moda Intima”, quando montei o primeiro supermercado só de lingerie para atender sacoleiras vindas de todo o Brasil. Eu escreveria muitas e muitas paginas com todos os meus sucessos.

Uma coisa eu observei durante todos esses anos de criações malucas e maravilhosas. Sempre que algo que eu queria muito, mas que, de alguma forma não se desdobrava normalmente, era por uma de duas razões: ou era o meu próprio hábito de vibração, minha crença, minha vibração dominante que eu mesmo estava oferecendo naquele momento em relação a aquele assunto, que de forma alguma coincidia com o que eu achava que o meu desejo seria, ou, eu e o meu desejo não eramos uma combinação perfeita, e essa coisa que eu achava que eu queria, não correspondia, um ao outro, e assim o Universo não tinha como me entregar isso…
.