Posts com a Tag ‘lingerie’

MINHA FILHA E A CAPITAL DA MODA INTIMA…

- segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Nayana e netos Eu sozinho imaginei, visualizei e verbalizei essa minha nova história, a minha cidade sendo a Capital da Lingerie, mesmo com os próprios confeccionistas não acreditando nisso, muitos riam na minha cara, e com o tempo eu mesmo passei a acreditar mais, nessa minha nova história e, quando isso aconteceu, as evidências fluíram rapidamente para a minha experiência e como não existia nenhuma loja na cidade, eu montei o primeiro supermercado de moda intima, para ser o cartão de visita das confecções de minha cidade. E hoje ela é reconhecida até pelo estado do Rio de Janeiro, que já lhe conferiu esse título oficialmente…

Hoje eu lendo Abraham eu sei que uma crença é apenas um pensamento que eu mesmo continuo pensando; e quando minhas crenças correspondem aos meus desejos, então meus desejos devem se tornar a minha realidade. E eu estava conversando com minha sogra Margô em Salvador, sobre sua saúde. Isso não é só com as coisas, é com a nossa saúde também. Não há corpo físico que não possa melhorar, nem importa quais sejam as condições, sem essa de que não se pode alcançar uma condição melhorada de vida. Nada mais em sua experiência, responde tão rapidamente quanto o seu próprio corpo físico aos seus padrões de pensamento…

A minha filha Nayana, tinha dois meses quando começou a desmaiar ao mamar, baterias de exames, comprovaram que ela tinha o coração grande e deitado, e os médicos diziam que, se ela sobrevivesse até os dois anos, a minha filha teria de se operar de qualquer jeito. Eu levei uma semana meditando, limpando minha mente dos pensamentos do ego, e no “momentum” em que eu limpei e vi minha filha, linda e maravilhosa, com uma saúde de ferro, eu me levantei e mandei fazer todos os exames novamente, e para o espanto de todos, menos o meu, ela já não tinha mais nada, Nayana já me deu três netos e nunca teve mais nada e nem se operou do coração…

O AGORA! É SÓ PRA SER AINDA MAIS FELIZ…

- sexta-feira, 4 de maio de 2018

rindo 4 Eu me lembro daqueles tempos, em que eu estava tão ocupado em ganhar o meu dinheiro, que eu não tinha tempo pra ser feliz. Uma hora eu tinha uma; editora, jornais e uma agência de publicidades, pra tocar, e o resto do tempo era dedicado exclusivamente a minha religião. Eu era além de; empresário, publicitário e gerente de turismo de minha cidade, também um dirigente budista que viajava quase que todos os finais de semana em função da organização budista, estudava os goshos e ainda fazia as provas para ser dirigente religioso, fora as viagens de negócios durante toda a semana, mês a mês. Depois veio a minha campanha publicitária. “Friburgo Capital da Moda Intima”, onde eu além de divulgar a cidade, eu tinha um jornal informativo das confecções de lingerie, um supermercado de moda intima em Friburgo, mais uma loja no Rio, em Ipanema e outra em São Paulo, no alto da Moca, e ainda continuava a ser dirigente budista, agora com um cargo maior e com mais responsabilidades e mais cidades para visitar e dar palestras semanais… Que loucura…

E realmente eu acreditava tanto em minhas ações físicas, para criar tudo aquilo que eu tanto queria, que eu já não tinha literalmente mais tempo pra nada, que até o tempo em que eu criava ou encontrava, para levar os meus filhos ainda pequenos para uma praia, pra nos divertir, eu já me encontrava cansado demais pra desfrutar toda a minha criação, que eu era até muito magro fisicamente. Hoje, tudo já é muito bem diferente, além de eu entender e aceitar que existe muito mais poder do que eu imaginava nos meus pensamentos, que o meu cérebro é só um mecanismo de foco, eu também passei a direcionar mais, focar e dar mais atenção, conscientemente e deliberadamente, a todos os meus pensamentos, e sempre apenas na direção, das coisas que eu ainda desejo, e foi assim que eu descobri, que a minha ação física é apenas uma minúscula parte de toda a criação que é a vida. E agora, tudo flui muito mais; fácil, divertido e alegre, e eu ainda posso desfrutar e apreciar mais, as melhores coisas dessa vida…

POR QUE SER APENAS MAIS DO QUE É?

- sábado, 9 de dezembro de 2017

Napoleão e Gabriel Eu estou me divertindo muito em Friburgo já há alguns dias, estou revendo meus parentes e amigos, e estando em uma cidade pequena é bem mais fácil de se encontrar com todo mundo, adorei fazer meu tour gastronômico pela cidade, e ouvir o que as pessoas mais pensam durante o seu dia a dia, transformando isso em suas crenças e as realimentando mais. Para quem ainda não conhece Friburgo, ela é uma cidade bonita e maravilhosa de se conhecer, as pessoas são; bonitas, maravilhosas e amigas, porém muito saudosas, elas vivem mais do passado do que do presente, e é uma cidade onde a grande maioria ainda são bem mais observadoras reagentes, do que criadoras deliberadas, elas ainda vivem sendo comandadas, apenas por alguém que impõe suas ideias, mesmo que essas ideias sejam tolas, e assim a cidade sempre é muito mais do que já é, ela não muda muito, ela é sempre mais de tudo o que é…

E vendo tudo o que eu venho presenciando aqui, acredito mesmo que essa cidade maravilhosa em que nasci, ainda é um local muito fértil e ainda muito fácil de se divertir de comandar as pessoas sem que elas percebam, como eu já fiz quando à transformei na “Capital da Moda Intima”. Eu percebo que se alguém encontrar um jeito qualquer, de fazer com que as pessoas daqui reduzissem a sua carga de trabalho em apenas 30% e aumentassem a sua carga de diversão em 30%, todas elas aumentariam suas receitas em 100%. E todos aumentariam sua produtividade em até mais que 10.000%. Quanto mais divertido a coisa for, menos luta é preciso e muito mais resultados todos teriam em todas as suas frentes…

EU ESCOLHO E DECIDO O QUE EU QUERO…

- quarta-feira, 11 de outubro de 2017

em friburgo Isso é tudo o que foi preciso, o que eu sempre tive que fazer para realizar todos os meus desejos nessa vida. Tomar uma decisão do que eu desejo. Foi assim ao eu me tornar livre aos 8 anos de idade, ainda dentro da casa dos meus pais, foi assim aos 13 anos quando sai da casa deles e fui viver a minha; liberdade, felicidade e expansão, em Manaus, uma grande cidade onde eu só conhecia o meu pai. Foi assim quando eu decidi fazer as minhas próprias causas mudando os efeitos, circunstâncias nunca foram importante para mim.

Foi assim que eu mudei a economia da minha cidade natal que estava completamente falida, transformando-a em “A Capital da Moda Intima”. Foi assim que eu transformei Boa Viagem em o bairro que mais cresceu nos últimos 20 anos, sempre para melhor. Eu escolhi o que queria, dei o meu foco ativando isso e em seguida dediquei minha poderosa atenção para que isso se expandisse assim como acontece no Universo. Eu encontrei o lugar sentimento do que eu queria e cá estou eu. morando na orla mais bonita do nordeste. Eu consegui tudo isso apenas me divertindo em pular para várias realidades paralelas, nunca houve razão ou necessidade de eu sofrer ou lutar em meu caminho para eu estar ou conseguir qualquer coisa. Ser feliz antes de tudo é tudo…

A OBSERVAÇÃO QUE MUDA TUDO…

- sexta-feira, 28 de julho de 2017

obsercação positiva Eu tinha vendido a minha editora junto com os dois jornais que me davam dinheiro, meus filhos ainda eram muito pequenos, o Brasil sofria as loucuras do Collor com a Zélia confiscando o dinheiro das contas bancarias de todo mundo, e a minha cidade, Friburgo estava falindo, suas maiores fabricas estavam fechando as portas, e para a maioria das pessoas, a observação delas era só para isso, o que é… Mas, para mim, minha observação era completamente diferente. Eu procurei enxergar o que ainda dava folego financeiro a cidade no meio de todo aquele caos. E foi daí que eu passei a observar “Friburgo, Capital da Moda Intima”.

Eu observei o que ninguém observava, eu observei as confecções crescendo, uma cidade com um novo rumo, uma recuperação da economia, as pessoas tendo orgulho do que faziam. E olha que nem mesmos os próprios confeccionistas acreditavam nisso, eles me diziam assim… Cara, como você pode pensar em Capital da Moda Intima, se a maioria só faz produtos sem qualidade, tem gente que bota lacinho em cuecas, todo mundo só trabalha com sacoleiras próprias em outras cidades.

E eu dizia, pro Paulo De Chelles, hoje dono de uma das maiores confecções. Mas, tem gente que produz qualidade como você e sua esposa, e quem já bota lacinhos em cuecas, já está prevendo o mercado gay que está crescendo, e as sacoleiras virão comprar em Friburgo. Eu já havia decido montar um jornal só com propaganda das confecções, e ainda montei “o primeiro supermercado de moda intima”, do mundo. E em pouco tempo lá estavam os ônibus chegando, as confecções melhorando, a Dupont do Brasil e as fabricas de tecido, enxergando Friburgo, e até os políticos da cidade e do estado do Rio, que não tinham acreditado, lhe deram o título oficial, de “A CAPITAL DA MODA INTIMA”.

A ÚNICA COISA QUE REALMENTE ME ENSINA ALGO, É A MINHA PRÓPRIA EXPERIÊNCIA…

- domingo, 1 de janeiro de 2017

de-chelles Eu sei, porque eu fiz. Eu me lembro que quando eu queria fazer de “Friburgo, a Capital da Moda Intima”, eu mesmo tomava nota constantemente, de todos os aspectos positivos e maravilhosos, de tudo que já estava lá; pessoas felizes, produtos com qualidade e muita variedade. Cadastrei cada pessoa que fazia lingerie em Friburgo, cada empresa que fornecia matéria prima e ainda criei o primeiro supermercado de moda intima, para atender turistas e sacoleiras de todo o Brasil. A abundância que eu me permitia com a minha imaginação e as minhas emoções avassaladoras, sempre eram a combinação perfeita com a minhas expectativas maravilhosas, de tudo o que ainda estava por vir. E assim veio. Essa foi a maneira mais rápida e maravilhosa de eu trazer escandalosos exemplos de abundância e prosperidade a minha realidade. A Hack elásticos e a De Chelles, são grandes exemplos disso.

Sempre quando eu ainda tomo a decisão de procurar mais, os aspectos positivos, na própria experiência que está se desenrolando agora, eu crio uma gostosa expectativa, que me permite uma manifestação imediata de evidências que, sempre suporta toda essa mudança vibracional em minha vida. Quanto mais eu olho para os aspectos positivos da minha vida atual, mais os aspectos mais positivos de tudo, vão sempre avançando e se mostrando para mim, agora. Eu em uma semana, me diverti pra valer, seja com a minha turma da rede social Vibreleve no Recife, distribui evidências de prosperidade em forma de; presentes, mobilidade e estadias, em cada lugar que estive, adoro natal em Salvador, apreciei ver meus; filhos, meus netos, parentes e amigos em Friburgo e na cidade maravilhosa que é o Rio de Janeiro, e cá estou eu, passando o ano de novo em Salvador, com os meus parentes atuais. As evidências são tão fantásticas que, até o meu sonhado rodizio de comida caseira da Mariquinha em Friburgo, que nunca tinha deixado de dar férias coletivas, por anos a fio, esse ano me serviu a melhor comida caseira que eu já comi, em pleno final de dezembro. Aprecio muito tudo isso…

EU JÁ NASCI DESEJANDO MAIS…

- segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Dupla fenda VL A minha vida toda eu sempre desejei mais, eu já realizei muitas coisas, eu já tive muitas ideias maravilhosas, eu já bati muitas e muitas metas, que para muitos eram impossíveis, e também já criei do nada, muitas e muitas coisas maravilhosas. Foi assim desde que eu era muito pequeno, quando eu comecei a dar valor a minha própria felicidade e a minha liberdade. E isso começou com o primeiro encontro com o lado da falta dos contrastes, que eu comecei a encontrar pela vida, eu me sentia preso com a religião maluca da minha mãe, em não ter dinheiro para meus desejos, era tudo para a igreja, minha mãe era uma testemunha pagante, de alguém que não precisa, sem nunca ter visto a briga.

E assim aos oito anos eu comecei a empreender, eu já era o engraxate mais novo da cidade e que ganhava mais dinheiro, até dos mais velhos que tinham seus pontos fixos, ao mesmo tempo montei o meu primeiro carrinho de entrega de compras das feiras, as mulheres me adoravam, eu além de cobrar, ainda ganhava muitas e muitas gorjetas, lanches maravilhosos e amigos de verdade. E assim, eu já tinha a minha liberdade financeira muito cedo e muita gente que já defendia a minha felicidade e minha liberdade. Sai de casa aos treze anos e comecei a montar os meus próprios negócios, tive muitos; uma prestadora de serviços de eletricidade, várias agências de propaganda em vários estados, distribuidora, gráfica, editora, vários jornais, o primeiro jornal de classificados grátis do mundo, várias revistas, restaurantes, bares, lojas de lingerie, o primeiro supermercado só de moda intima, feiras de lingerie, criei muitas campanhas para políticos, campanhas publicitárias nacionais, como; “Sorria Manaus”, “Friburgo Capital da Moda Intima”. Criei o primeiro abridor de sachês, outdoor de praia, agência de mídias alternativas, blog, aplicativos, a rede social VibreLeve, o protetor de phone de ouvidos e continuo tendo muitas ideias e criando mais coisas do nada.

Tudo porque é isso o que chama a energia da vida para passar por mim e voltar a Fonte de energia e informação de puro Bem Estar, em eterna expansão. Disso tudo o que eu já fiz e continuo fazendo, a coisa mais importante é e sempre foi, a força da vida fluindo através de mim, e nunca foram os eventos em si e muito menos as realizações. Tudo isso que fiz e faço é porque todas as coisas chamavam mais a energia da vida que cria mundos a fluir por mim, aqui e agora. E é isso o que faz eu sempre me sentir mais; vivo, feliz, livre e expansivo…

TEMPESTADE NUM COPO DE ÁGUA…

- quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

tempestade num copo O lugar alegre que eu estou agora é temporário, e o lugar abominável que alguém pode estar agora também é temporário. A minha realidade agora é de apenas um ponto culminante provisório, momentâneo, do que eu mesmo estive pensando sobre… Isso é muito hilário, já aconteceu comigo e já vi muitas pessoas passarem por isso também, mudando elas mesmas, com essa sua atenção crônica ao que pensa, a sua própria sincronicidade, tanto para positiva quanto para negativa.

Eu já ri muito com tudo isso acontecido… Eu tinha uma amiga que foi em uma festa que eu dei em Friburgo, que passou a noite toda feliz, porque ela pensou que tinha um cara de olho nela, ela tinha chegado toda nervosa e não muito alegre, o ato de pensar que tinha um cara bonitão de olho nela, a fez mudar toda a sua sincronicidade para positiva. Ela até hoje ainda pensa nele e suspira. O que ela nunca soube é que ele é gay e que trabalhava para mim nos desfiles de lingerie que eu promovia, ele só estava encantado com o vestido que ela estava usando. Numa outra ocasião, uma funcionária que era maravilhosa, passou a ser completamente diferente, até que foi esclarecido uma coisa que ela tinha pensado ser com ela, ao ouvir alguém falar sobre uma determinada coisa que nem mesmo tinha a ver com o local de trabalho dela, que era no jornal, o comentário se referia a alguém que trabalhava numa das minhas lojas que tinha o mesmo nome que ela. Ainda caio na gargalhada até hoje, pensando nisso…

EU REALMENTE VIM PARA EXPERIMENTAR TODAS AS COISAS…

- segunda-feira, 9 de março de 2015

Friburgo-Capital-da-Moda-Intima_FEVEST Muita gente me pergunta, você tem tantas historias, o que você já fez na sua vida? Eu geralmente digo que é bem mais fácil dizer o que eu não fiz… Eu comecei a experimentar tudo cedo. Primeiro fui um rebelde sem causas antes mesmo de iniciar minha vida profissional aos 8 anos, que foi quando comprei a minha primeira caixa de engraxate e ganhei o meu primeiro dinheiro sozinho, depois fui ser embrulhador de presentes na papelaria Tanajura ainda em Friburgo, aos 9 anos eu era entregador de compras nas feiras de Niterói, aos 12 eu era eletricista da fabrica Ipu, estudando no Senai, fui entregador de comida na pensão de minha mãe, aos 13 fui ajudante de eletricista num hotel em Manaus, depois ainda em Manaus apontador de obras e eletricista independente na zona franca de Manaus. Voltei pra Friburgo e fui dono de loja de disco, fui para São José dos Campos ser corretor de imóveis, vendia para a chácaras Cannaã e montei uma empresa de Silkscreen, voltei para o Rio de janeiro e fui ser impressor de Silk, depois pesquisador da bolsa de valores de uma operadora a Fatura, nessa mesma empresa me tornei o maior vendedor de ações para empresas, voltei para Friburgo e fui para o comercial da radio FM Sucesso, montei minha primeira agência de publicidade a ENC, depois casei e fui novamente para Manaus, onde fui gerente comercial do jornal O Turista, sócio da agência de publicidade Ponto de Vista, e assessorava a Emantur como publicitário e criei a campanha Sorria Manaus! E ainda fazia trabalhos para a campanha politica do Gilberto Mestrinho. Voltando para Friburgo, fui ser dirigente da BSGI, uma ONG budista, montei meu primeiro jornal de classificados grátis o Classitudo e minha editora e logo após uma gráfica, fui ser gerente de Turismo do prefeito Heródoto Bento de melo, fui jornalista e editor do jornal Noticias, montei o jornal Classirural, que atendia vários estados, depois montei a empresa Determinação, de distribuição de plásticos da Dover, montei o jornal La Famme, Criei a campanha “Friburgo Capital da Moda Intima”, e criei o primeiro supermercado só de Moda Intima do mundo para atender sacoleiras, mais lojas de lingerie, uma no alto da Moca em São Paulo e outra no Top Center 550 no Rio de Janeiro e por fim construí um Shopping só de Moda Intima. Me separei e vim para o nordeste, onde montei pipas gigantes, verdadeiros outdoors de praia para os blocos do Recifolia, fui representante de empresas do Rio para a região, fui administrar um jornal de ESCAMBO, que tinha o próprio nome, montei pontos de vendas de risolis e atendia as lanchonetes dos shoppings do grande Recife, montei um distribuidora de sachês, a Só Sachês, mais uma vez inventei, criei o primeiro abridor de sachês, montei a Mídia Praia uma agencia de publicidade alternativa, só para as praias do nordeste. E depois decidi montar minha própria rede social a Vibreleve e aplicativos para smartphones baseados no Bem Estar, o que faço até hoje, fora algumas invenções. Ou seja sou um eterno criador nato…

Os Abraham só confirmam mais que eu estava certo…

- segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Dupont-Lycra Quase tudo começa no encontro com os contrastes. Eu adoro criar coisas do nada, eu estava querendo ir embora de Friburgo, tinha vendido a minha editora e os jornais quando veio mais um filho e minha mulher agora mais ainda, não queria ficar longe da família. O comércio da cidade estava quase quebrando porque as grandes fabricas que eram os carros chefes dos empregos na cidade começaram a falir, o presidente Collor tinha liberado as importações e como Friburgo era praticamente comandada por grandes industrias fornecedoras de autopeças da área automobilística de São Paulo e até a Ypu que fabricava peças em couro também falindo, tudo estava indo pro brejo.

Essa era a hora de foco e escolhas. Foi quando eu notei que o irmão do meu sogro, o Silvio Montechiari, já tinha um grande depósito a Silvetex, só de matéria prima para moda intima, lingerie, e estava prosperando a olhos nus, ele empregava quase que a família toda, era a única coisa que eu via crescer na cidade, outros depósitos concorrentes estavam abrindo e crescendo rápido também. Pedi ao meu pai que tinha sido delegado do IBGE em Manaus, que fizesse uma pesquisa para mim, coloquei o primo da minha mulher que já trabalhava comigo em publicidades, pesquisando de rua a rua, para saber onde estavam essas confecções que não apareciam no mapa, e o que elas faziam, inclusive pedindo uma amostra, depois pedi ao Silvio a sua permissão para ver se eu não tinha deixado alguma confecção sem cadastrar, as mesma coisa fiz com os outros depósitos de Lycra.

Capital Ligerie Agora que entra a Lei da Atração, Uma grande academia, a maior da cidade, estava fechando porque seus clientes eram da maioria das fabricas que estavam fechando. Ela tinha dois salões enormes, e um corredor muito estreito até a rua, mas era muito bem localizada na praça Getúlio Vargas, a principal da cidade, propus ao dono um novo negócio, se ele concordasse arrumaríamos mais um sócio para financiar toda as mudanças e equipamentos, e montamos o primeiro supermercado de moda intima do mundo, que atendia as sacoleiras e aos turistas. Montei uma campanha “Friburgo a Capital da Moda Intima”. Consegui com grandes fabricas de tecidos e elásticos patrocinassem grandes outdoors de estradas, para as principais estardas que ligavam aos outros estados e algumas indicando o caminho para a cidade e até outras na serra dando Boas Vindas à Capital da Moda Intima.

A maioria dos políticos da cidade não deram bola, até os confeccionistas não acreditavam no que viria a acontecer. Em pouco tempo a cidade começou a receber ônibus de sacoleiras do Brasil todo, o nordeste era de onde mais ônibus chegavam. A cidade começou a ganhar nova vida, trazendo turismo de compras e as confecções que antes tinham suas próprias sacoleiras nas cidades que elas atendiam, começaram a se legalizar, ganhar olhos dos políticos, do SEBRAE e até da Dupont do Brasil que montou um centro de informação Lycra na cidade, dando suporte as confecções e um selo de qualidade Lycra agregando valor as peças. E a cidade se recuperou economicamente. Adoro ouvir os Abraham falarem que, as minhas metas financeiras são muito mais que apenas a mudança da minha vida, é até maior que a minha própria expansão e também a expansão de muita gente envolvida no que eu faço, eu fico rindo e apreciando tudo o que já fiz e ainda faço.