Posts com a Tag ‘Israel’

Eu desejo viver a minha vida… Para isso, eu preciso deixar os outros viverem as deles…

- domingo, 20 de janeiro de 2013

Uma das coisas que eu só vim perceber lendo os Abraham e que, até custei muito a conceber isso, é que, eu jamais devo me preocupar com esse meu mundo, ele não está com problemas, ele está vivo, e é apenas cheio de contrastes. Eu só tenho que escolher o que eu quero viver, e deixar com que os outros vivam, o que eles querem viver. Isso sim é permitir. E também, jamais me preocupar com os outros. Seja eles; meus pais, minha companheira, meus filhos, netos ou amigos. Porque eu apenas estaria antecipando emoções ruins em minha vida, de algo que nunca existiu ainda. Afinal, eu só crio o que vibro, e ainda tenho que passar um tempo focado nisso, dando a minha atenção não dividida pra isso, para só então, isso vir a ser, a minha realidade.

E até porque, quem se preocupa por demais com as outras pessoas, sempre se preocupam bem mais do que essas mesmas pessoas, se preocupam com elas mesmas. Elas apenas enxergam que agora, é você quem está vivenciando o mundo delas. E desse seu modo agora, de não permissão, de preocupação, você jamais pode ser um bom exemplo de Bem Estar. Ninguém nesse modo de preocupação tem nada de bom para dar. Esse é o motivo do qual eu passei, a só pensar em quem eu amo de verdade, quando eu estou muito feliz, me sentindo muito bem.

Então, agora, nesse exato momento, há muitas pessoas em guerras, há agora, milhões de pessoas no campo de batalha que, estão muito mais vivas, do que elas mesmas já estiveram antes. É só ver o que está acontecendo nos países do Oriente Médio, até mesmo na Europa. É bem melhor do que quando essas pessoas estavam depressivas em seus lares, só remoendo ódio, dor e reclamando da vida, quando elas mesmas estavam bem mais presas em seus guetos e no extremo da linha de ponta das emoções, ligadas ao medo. Eu jamais devo tentar proteger as outras pessoas da sua própria vida. Eu preciso deixá-los ter a sua própria experiência enquanto, eu mesmo me concentro em minha própria experiência.

Os campos de concentração da FEMA nos EUA.

- quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Você não pode sair por ai matando todo mundo que não concorda com você. Você não pode e nem deve fazer isso. Você iria ter de matar muita gente, e é isso que os EUA estão planejando fazer com a compra de 500.000 caixões, cada um para quatro pessoas, e muito em breve, eles irão chegar até o âmago da questão que é apenas eles mesmos, e então eles iriam começar novamente a discordar uns com os outros … Em outras palavras, ninguém pode chegar onde se quer chegar, empurrando-se contra o que não se quer, isso nunca funciona.

O mundo está nessa verdadeira loucura, porque as pessoas querem excluir de qualquer maneira o que não querem para si, veja bem, é Israel e os palestinos, um tentando excluir o outro, é os EUA tentando excluir quem discorda deles, fomentando guerras nos países árabes, e não é a toa e nem de se admirar que o maior numero de doentes mentais e prisioneiros estejam em solo americano.

E quase que eminente a quebra financeira mundial, a Europa está falida, os EUA já está quebrado há muito tempo, e agora mesmo estão contratando 100 mil pessoas para trabalhar a partir de fevereiro de 2012, nos vários novos campos de concentração (prisões militares) espalhados pelo país, e eles estão sendo ativados um a um, é coisa para colocar um milhão de pessoas nestes campos de concentração em massa.

Está é à hora certa para que cada um de nós comece a meditar mais, e estar cada vez mais sensíveis as nossas próprias emoções.

É hora de não se incomodar nem um pouco com os que não estão se divertindo com a vida, porque todos têm o mesmo potencial para a felicidade e a liberdade, e elas estão disponíveis para todos, seja você mesmo, um exemplo vivo da felicidade, ofereça sua vibração deliberada, é hora de sentir e adorar ver o Universo alinhando as coisas, de ver e apreciar como as circunstancias e os eventos se alinham para criar evidências que lhe mostrará como você mesmo está indo com sua vibração.

Não seja mais um simples observador, não reaja automáticamente às enormes cagadas que os outros estão fazendo, e saiba que de verdade você não é obrigado a ficar focado nisso. Nem viver as historias dos americanos, europeus ou árabes.

É hora de contar a sua própria historia de vida, e vivê-la intensamente.

Ame a si mesmo o maximo, saiba que não importa o que esteja realmente acontecendo agora, você pode voltar a contar uma nova historia melhorada de sua vida e esperar por ela feliz, porque ela virá, ame saber que nem mesmo importa o quão boa seja a sua historia agora, porque ela simplesmente pode, nem sequer estar perto da melhor historia que você ainda há de contar.

Ame saber que não importa o que aconteça, você sempre vai poder contar uma nova historia melhorada de sua vida, e permitindo que, eles também possam contar as suas, do jeito que eles quiserem.