Posts com a Tag ‘Elis Regina’

TUDO SEMPRE ESTÁ BEM EM MEU MUNDO…

- sábado, 28 de janeiro de 2017

realizações A melhor coisa do mundo é saber que tudo é como eu mesmo observo, quando eu tiro a minha observação, tudo volta a ser ondas de infinitas possibilidades. Tudo é do jeito que eu ativo com o meu foco e tudo é sempre mais, quando eu mesmo dou mais atenção. Eu não tenho que consertar nada e nem posso excluir algo, eu só posso incluir mais. Eu jamais devo me preocupar com os outros. Porque na maioria das vezes em que eu me preocupei com alguém, eu me preocupava muito mais, do que ele mesmo com ele. Há pessoas fazendo de tudo nesse exato momento, pessoas sendo contra, guerreando e conspirando, enquanto outros são muito mais felizes. Ontem mesmo tinha uma publicação no Uol de um japa resistente, muito preocupado com o que as pessoas pensam sobre o Eike Batista. Só que, talvez juntando todas as pessoas que leram aquela matéria, o Eike sozinho, tenha vivido muito mais, realizado muito mais desejos, tendo tido muito mais momentos felizes do que todas elas juntas. As pessoas ainda tentam arrumar suas desculpas muito esfarrapadas, em cima das outras pessoas, apenas para justificar a sua própria resistência ao que ela mesma mais quer, para ausência de muitas realizações na sua vida, para a resistência ao seu próprio e natural fluxo de Bem Estar. E o que adianta se ter uma vida normal, bem mais longa, do que; Elis Regina, Cazuza, Ayrton Senna ou a do próprio Eike nos negócios, mas de poucas realizações e de poucos momentos muito felizes? Basta eu mesmo deixar as outras pessoas mais livres, para que todas tenham suas próprias experiências como elas queriam ou querem, e eu mesmo ter mais a minha própria experiência mais feliz, bem mais divertida, aqui e agora.

Entendendo o que acontece com pessoas de sucesso…

- quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Elis Regina Geralmente todas as pessoas de muito sucesso na vida, são pessoas alegres e muito sensíveis as suas emoções, então elas tem muitos momentos de pico, seja em um show, seja em relacionamentos muito loucos ou pela sua total liberdade. Eu mesmo já chorei muito vendo uma interpretação da Elis Regina, num show ao vivo do Supertramp ou até do grupo A Barca do Sol que se apresentou com Egberto Gismonti na Concha Verde, na pedra do Pão de Açúcar no Rio, e até vendo a Cassia Eller dar o seu melhor, bem ali na minha frente, eu me arrepiava todo de tanta emoção que ela transmitia. O que isso me dá de experiência, ou para que serve vivenciar tudo isso? É eu mesmo entender que eu jamais devo tentar recriar essas experiências de pico.

A maioria faz isso apenas usando as drogas, e batem as botas mais cedo. Como o acesso a informação Abraham me diz… Em vez de tentar recriar isso artificialmente, devemos apenas aceitar isso como mais um presente, que é o que eles realmente são, e não bater em si mesmo por não ser capaz de ficar lá, nesse vórtice incrível que ele é. Porque se você ficasse lá, eles não seriam mais experiências de pico. Eles seriam uma coisa normal, e todos os dias seriam iguais e isso se tornaria uma coisa chata, apenas mais experiências normais. Então, tudo que temos a fazer é saber saborear mais essas experiências de pico e elogiar-se mais, e apreciar-se mais, em cima dessas realizações dentro desse seu próprio vórtice criativo natural, e esperando sempre por mais delas, e deixar todo o resto da equação por conta da nossa gerente universal a Lei da Atração…

O desejo de se ir da depressão para a alegria instantânea

- terça-feira, 2 de agosto de 2011

E lá estava eu, sentado e feliz na praia de Boa Viagem, vendo um Workshop dos Abraham no meu mais novo brinquedinho, um iPhone 4 branco, lindo de se ver, agora tudo ficou mais simples, antes eu tinha de levar o meu notebook, depois veio o iPad que era mais leve e um pouco menor, que logo troquei pelo Galaxy Tab, e sempre ia junto o meu iPod, pra curtir minhas musicas e shows, e agora eu levo tudo que eu preciso num único celular, inclusive meu gravador, lanterna, agenda e uma câmera fotográfica poderosa. Só faltou o abridor de cerveja.

Eu tinha acabado de ler algumas paginas do novo livro da Esther “Realize seus Desejos”, e lá estavam eles de novo falando sobre bipolaridade, que se notarmos, todos nós somos bipolar, e eu fiquei refletindo sobre isso.

Sobre a Amy Winehouse, sobre todos os nossos ídolos, esse lance de se querer ir da depressão para o êxtase em segundos e querer ficar lá sem nada, sem se dopar, é muito difícil, quase que impossível, porque é um salto quântico.

Você já notou que mostramos um amor profundo ou incondicional por quem está deprimido e uma idolatria sem medidas por quem está quase sempre dopado?

Elis Regina, Tim Maya, Cazuza, Cássia Eller, Vera Fischer, Fabio Assunção e tantos outros.

Quem está deprimido, não nos apronta nada, está lá onde sempre os largamos e os acharemos sempre, trancados em seu mundinho triste, e ao contrario, quem está doidão está no mundo onde todos nós gostaríamos de estar, mas, nós mesmos achamos que só tem um caminho para se chegar lá, se dopando com bebidas ou as drogas, e muitos de nós, não tem a coragem de pagar o preço.

A bipolaridade se vê a todo o momento, em todos os lugares, quer nos evangélicos e católicos, que sempre entram em êxtase nas suas reuniões religiosas e depois ao sair, ao colocar os pés fora dos templos, voltam a viver no seu mundo de dor, onde falam quase o tempo todo sobre as coisas que não querem, se sentindo mal, esperando voltar lá o mais rápido possível para se recarregar, quer nos que, se dizem sem religião ou os que freqüentam suas seitas, esses chegam ao orgasmo mental nos shows da Ivete Sangalo, do Luan Santana, nas micaretas ou no show do Cold Play, e se você notar a maioria ainda precisa de álcool ou drogas para subir no caminho emocional para se chegar a curtir o show, são poucos os que entram em êxtase caretas, e logo depois todos voltam a viver o sofrimento de ter que passar a semana toda trabalhando duro, a maioria no que não gosta, se sentindo mal, reclamando de tudo, e de todos, esperando a nova dose de alegria no próximo final de semana.

Porém existe sim um meio muito mais fácil e seguro, sem precisar de nada a mais, nem álcool, drogas, pregações ou shows, para se conseguir estar em alegria constante, entrar a qualquer hora em estase, de se sentir um orgasmo mental na hora que se quiser, onde estiver.

Este meio é usar o seu próprio GPS emocional, seu Sistema de Orientação Emocional, para subir gradativamente na sua escala emocional, degrau por degrau, pode-se até pular de três em três, nada mais do que isso, e chegaremos ao nosso vórtice (êxtase, orgasmo).

Pensar e sentir, voltar a pensar e buscar sentir mais um pequeno alivio e voltar a pensar e se sentir um pouco melhor, esse é o único caminho seguro que nunca te deixará quando chegar ao êxtase, voltar a dar um salto quântico, voltando direto para a depressão, você poderá até se sentir enfadado, mas nunca deprimido, e assim poderá voltar rapidamente a subir na sua escala emocional sem precisar de saltos quânticos. Sem precisar ser bipolar, nem se dopar.