Posts com a Tag ‘Dodge Charger’

O AMOR INCONDICIONAL E O APREÇO…

- domingo, 12 de julho de 2015

dodge-charger Quando eu sinto um amor incondicional ou aprecio alguém ou uma coisa qualquer, essas emoções que eu sinto agora, são vibrações completamente idênticas e assim eu entro em um alinhamento com quem ou com o que, eu estou focado agora. E reconhecer isso é sentir imediatamente a ausência de tudo o que poderia me fazer sentir mal e simultaneamente, é a presença de tudo o que já me faz sentir bem agora. Quando eu me concentro sobre o que eu quero, quando conto a minha história melhorada de vida, de como eu quero que a minha vida seja, ainda hoje, eu mesmo vou chegando cada vez mais perto e muito mais perto da vizinhança da arte de apreciar, e quando eu chego a apreciar alguém ou alguma coisa, essa emoção sempre me puxa para todas as coisas que eu mesmo considero que sejam boas para mim, sempre em uma forma muito poderosa.

E eu posso afirmar e confirmar isso, com a minha própria vida, foi assim com todas as mulheres por quem eu já fui apaixonado e com a que eu ainda sou apaixonado, desde a minha primeira paixão amazonense, a paixão friburguense que eu jamais poderia deixar de me lembrar com muito carinho, que é a mãe dos meus filhos e a minha atual baiana que está hoje longe, curtindo a sua mãe em Salvador. Foi assim com o meu primeiro carro que eu comprei com meu dinheiro e a vista, foi assim com meu primeiro Dodge Charger vermelho sangue com teto de vinil preto. Foi assim com todas as minhas empresas que eu já tive, e continua sendo com as que eu tenho hoje, Ser apaixonado com tudo o que mais eu foco é muito bom mesmo. Até com as minhas praias no nordeste…

O Universo é abundante em tudo…

- sábado, 27 de setembro de 2014

Dodge Charger 1972 Esse Universo é prospero e abundante em tudo o que eu mais quero agora. Ele jamais esteve me testando, querendo que eu aprenda alguma coisa ou que eu conserte algo errado e nem mesmo que eu faça alguma coisa para merecer tudo aquilo que eu já venho desejando desde que nasci. Ele é benevolente em tudo para comigo, ele sempre me fornece tudo o que eu preciso, e na hora que é realmente preciso. Mas sou eu quem orquestra tudo. Sou eu quem realmente defino tudo e sou até aquele quem dá o sentido a todas as coisas a minha volta, e eu faço tudo isso através da minha antecipada alegria. E foi essa emoção que eu sempre estive promovendo em toda a minha vida, e que sempre me atendeu muito bem. Porque sempre foi essa minha expectativa positiva. A minha antecipação animada que me levou ao sucesso.

Eu me lembo como se fosse hoje, eu sai de casa com 13 anos, e comemorando muito a minha liberdade, eu esperava desbravar um mundo completamente novo, onde eu poderia fazer tudo o que eu mais queria, ser muito mais feliz de verdade. E foi essa minha felicidade quem fez o Universo me mandar o Coronel do Anjos, ele deveria ter a idade que eu tenho hoje, sem filhos, tinha uma empreiteira, e me adotou de cara, ele me colocou como apontador de obras, mas eu nem chegava direito no local de trabalho, e lá vinha ele me apanhar num Dodge Charger e íamos passear, eu almoçava com ele e sua esposa em sua casa em Manaus, ele foi uma pessoa muito importante na minha vida. Sou muito grato.

Hoje eu pensando em tudo o que já vivi, eu me recordo de ter comemorado muito, cada ideia que eu já tive, algumas vezes sozinho, outras com amigos ou com pessoas que a Lei da Atração tinha acabado de colocar no meu caminho. Hoje com toda essa bagagem, eu já acordo comemorando a vida, e assim conto a minha historia melhorada de vida, me sentindo feliz desde que acordo até eu me deitar, já não tenho hora para nada, acordo no meio da noite e vou para minha piscina comemorar a minha vida. E uma coisa posso afirmar, nunca a minha vida esteve melhor como está agora, e quanto mais melhora, mais estou na expectativa de dias melhores porque eu vivo dentro do único fluxo de energia e informação de puro Bem Estar que cria mundos e que está em eterna expansão…

O meu desejo é forte o suficiente?

- quarta-feira, 14 de maio de 2014

Dodge Carger Quando eu comecei a pensar por mim mesmo, minha mãe era uma fanática Testemunha de Jeová, me podava em tudo, eu não podia fazer quase nada sem apanhar, sem ficar de castigo, mas meu desejo por; liberdade e felicidade era bem maior, eu continuava fugindo para brincar em vez de estudar, eu guardava o dinheiro que minha vó Belinha e meu avô Marino, me davam para merenda, para comprar a minha primeira caixa de engraxate, isso aos 8 anos de idade, e eu desafiava comprando tudo o que eu queria e que minha mãe não deixava meu pai me dar, por ter de dar dinheiro para a igreja, então essa sempre foi uma pergunta muito importante para mim, para eu mesmo perceber o porque, de mesmo eu tendo esse grande contraste, eu ter conseguido não copiar tanto as vibrações da minha mãe e nem cedido as várias tentativas de implantarem crenças negativas envolvidas com tanta emoção negativa, já que eu apanhava muito, e ouvia os anciões dizerem que esse era o certo, o correto.

Se o meu desejo é forte o suficiente, não importa quais são as crenças que tenham tentado colocar em mim. Se eu realmente tenho um desejo que é forte o suficiente, esse desejo será a vibração dominante, e ele irá sobrepor a qualquer outra vibração que eu tenha no momento. E esse sempre foi o meu grande diferencial em minha vida, tudo para mim ainda é fácil, enquanto para os outros tudo só vinha com muito; estudo, trabalho e esforço. E assim, anos depois quando voltei para minha cidade natal Friburgo, após ter fugido de casa aos 13 anos em Manaus, enquanto eu tinha o maior, melhor e mais bonito carro da cidade, um Dodge Charger vermelho sangue, com teto de vinil preto, os meus amigos, aqueles que tinham família com muito dinheiro. só andavam com os carros dos pais, as vezes um Chevette novo, mas apenas nos finais de semana. Eu ainda me dava ao luxo de ter dinheiro o suficiente, para fechar uma boate famosa na minha cidade, eu dizia, hoje eu só quero que entre quem eu desejar ver… Eu já sentia a emoção do que é ter o poder de fazer minhas escolhas… Então, eu posso afirmar que eu sempre fui diferente, eu escolhi as realidades que eu mesmo queria experimentar, aqui e agora, apenas por eu ter um desejo forte o suficiente…