Posts com a Tag ‘Ancoragem’

REPLICANDO OU CRIANDO UMA ANCORAGEM…

- terça-feira, 7 de junho de 2016

ancoragem Eu adoro ser feliz e bem mais livre, e nada melhor do que se ter ferramentas, que nos leve a um lugar especifico no momento que mais precisamos estar lá, não importando as circunstâncias. Tudo na realidade, só se passa na nossa cabeça, na nossa imaginação, e portando é maravilhoso saber replicar ou usar ancoragens de momentos felizes, bem no meio de circunstâncias ou momentos indesejadas. E essa arte de replicar ou usar ancoragens, é uma coisa muito simples e gostosa de se fazer, que é apertar num mesmo local especifico no meu corpo, todas as vezes que eu estiver escandalosamente feliz, porque isso não é só guardar momentos de muita sensação de felicidade, ou de apreciação, para trazer de voltar em minha mente, aquela visualização que me traga também todo aquele sentimento gostoso, bem no meio de um momento indesejado, de uma circunstância desagradável. Isso também serve muito bem, para se voltar mais rapidamente ao natural fluxo de Bem Estar, assim como também serve para nos transportar, para um ponto de atração mais positiva, de tudo aquilo que ainda queremos, que já criamos, mas que ainda estão esperando esses momentos mágicos, para nos chamar para o nosso próprio vórtice criativo, fazendo essas interpretações vibracionais, agora fazerem parte da nossa realidade física.

Desejo! Como realizá-los?

- domingo, 1 de agosto de 2010

Você tem muito mais crenças dominantes do que você mesma imagina!

O que é uma crença? Apenas um pensamento que você vem pensando muitas e muitas vezes por algum tempo e que não venha acompanhada de fortes sentimentos. Eu mesmo tinha uma crença que com o advento da proliferação das tatuagens via mídias e artistas formadores de opinião, quase que essa crença boba virava uma crença dominante, quando adolescente eu morei em Manaus, freqüentei muito a boate dos Ingleses, perto do porto, e também as festas dos navios que passavam por lá, quem era tatuado, era marinheiros arruaceiros, prostitutas e ex-presidiarios, aquilo ficou na minha cabeça, toda vez que eu via alguém com uma tatoo, eu acreditava ser alguém da minha crença, quando agora a poucos anos tudo que é adolescente começou a se tatuar, isso passou a me incomodar, já me trazia um mal estar.

E o que é uma crença dominante? Um pensamento constante, pensado muitas e muitas vezes, acoplado a fortes emoções.

Não existe como excluí-la, porque quando você pensa nela, você só está alimentando ainda mais essa crença que você mesmo quer jogar fora ou eliminar, e nunca se esqueça, vivemos num mundo de inclusão, não existe exclusão, podemos criar outras crenças dominantes, podemos pensar em outras coisas e envolve-las em fortes emoções, ou você pensa no que quer, ou alimenta velhas crenças voltando a pensar nelas, dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo, assim como você não pode estar se sentindo bem e mal ao mesmo tempo, é um ou outro.

Uma crença muito comum e dominante é a crença da falta, ela vem sempre acompanhada de fortes emoções, muitas mães nem se tocam, mas, criam crenças poderosíssimas em suas crianças, e eles a levam pelo resto de suas vidas, eis um dos motivos dessas pessoas não terem o que desejam, quando criança desejavam um doce, ela via uma outra criança com um doce e o desejava, da alegria passava-se rapidamente para uma tristeza e choro, sua mãe em vez de contornar a situação em momentos de não ter como atender o pedido de imediato, poderia estar sem dinheiro naquele exato momento ou se naquele local não tinha onde comprar, em vez de dizer, vamos sair a procurar um pra você, e no meio do caminho a maioria até esquece do seu desejo pelo doce, mas, a mãe tasca-lhe um poderoso não, não é seu, eu não tenho dinheiro, para de chorar, e isso se alastra com outros nãos, uma hora era um brinquedo, outra uma roupa nova e até sair pra brincar com os amigos, e com isso acostuma a própria criança a se sentir mal, a criar o hábito de não dar o menor valor em se saber que se está se sentido o menor desconforto que exista.

O se sentir mal, não é ruim, ele existe para eu saber que não é o que eu desejo, que se eu continuar a me sentir assim eu não estarei criando o que eu quero, porque todo pensamento cria, e o que me faz eu me sentir bem ou mal é o meu pensamento criativo, se eu me sinto mal, crio o que não quero, se eu me sinto bem, crio o que eu desejei.

E como criar uma poderosíssima crença dominante? Simples, pense no que deseja e envolva esse pensamento em sentimentos de alegria e satisfação, se possível em êxtase.

Crença de prosperidade.
Toda vez que você se sentir bem, feliz, pode ser ouvindo uma musica, vendo um filme, apreciando alguém ou algo, pense no seu desejo, guarde na sua lembrança as musicas e as imagens que te faça se sentir muito bem e as coloque para tocar quando está pensando no seu desejo, relembre das imgens mentais, quem quiser pode até criar um atalho, criar uma ancoragem mental, enviar isso pro cérebro em segundos, escolha um local para apertar em seu corpo, pode ser um dedo qualquer, e toda vez que se sentir muito feliz, aperte nesse mesmo local, com a mesma intensidade, seu cérebro vai guardar que isso é sinal de felicidade, depois de transformar essa ancoragem em uma crença dominante, quando você precisar se sentir bem é só apertar no mesmo lugar e pensar, eu adoro me sentir bem, seu cérebro criará na mesma hora a mesma química que o faz sentir feliz quando você tem um estimulo real externo.

Isso é muito bom para quando se está numa prova na escola e se sente nervoso, quando vai pedir um aumento de salário, quando vai receber uma grana de alguém, quando vai tentar conseguir uma namorada, são momentos que não sentimos alegria, pelo nervosismo, mas, precisamos dela, e por eu usar essa ancoragem dando minha intenção de querer se sentir bem, tudo é muito mágico.