ESSE DIVERTIDO JOGO DE ESCOLHAS…

8 de março de 2016 por
Publicidade

escolhas21 A vida é um jogo de escolhas, existem infinitos jogadores e infinitas possibilidades, cada um podendo fazer suas próprias escolhas, tudo pode se tornar probabilidades momentâneas, agora. Todas as regras que já existem podem ser modificadas a todo e a qualquer momento, eu também posso criar novas regras e modifica-las a qualquer tempo. Como o nome do jogo já diz, eu tenho as minhas próprias escolhas. O próprio cérebro que o ego criou para justificar a existência da sua auto-consciência, é apenas um mecanismo de foco. É a partir das minhas escolhas que eu mesmo foco mais e dou mais atenção a algo que que eu mesmo escolhi para ser mais, bem no meio dessa infinidade de contrastes que eu sempre encontro, desde o momento em que eu passei a ser mais essa extensão da Fonte de energia e informação em eterna expansão, estando na linha de ponta do pensamento, aqui e agora. Tudo já é e será bifurcado desde o incio do jogo, mas quem dá a sincronicidade vigente sou eu mesmo com as minhas eternas escolhas…

Aqui existe o ambiente perfeito para se criar o “ego”, o jogador, “o tempo e o espaço”. Tudo é, “escolhas”. Os limites para se continuar nesse jogo são apenas dois: Escolher formatar o ego mais criador consciente e mais deliberado que ele puder; ser, ter e fazer, essa sua própria vida, bem mais alegre e mais apreciativa ou escolher apenas ser um ego observador reagente, sendo bem mais inconsciente que ele puder chegar, que é viver no limitado mundo do medo e a depressão. A diferença é muito grande, de um lado está um criador deliberado, que relembrou que a única coisa que existe nesse jogo é escolher mais, o que ele mesmo quer apreciar mais para ele mesmo; ser, ter e fazer mais, tudo o que ele mesmo escolheu que realmente quer experimentar ainda mais, sempre permitindo o fluxo de Bem Estar passar por ele, indo e vindo, simultaneamente, ininterruptamente a Fonte de Bem Estar, moldando tudo nesse mundo físico holográfico e expandindo mais o Bem Estar.

E já do outro lado está o ego que se esqueceu de tudo, e por perder mais tempo e espaço ao focar em tudo, tanto no que ele muito quer, quanto no que sabe definitivamente que não quer. Mas, ele mesmo já se permite menos o fluxo de Bem Estar passar por ele, e ainda aprecia menos o jogo, ele passa mais tempo resistindo e ainda criando mais resistências a tudo aquilo que ele muito ainda mais quer, tentando uma hora consertar o que ele acha que está errado, se jogando contra, outra hora querendo eliminar uma coisa que, com o seu foco e atenção não dividida em cima disso, só se tornará cada vez mais, porque nesse jogo de escolhas, só existe inclusão, tudo tem de se tornar mais, para que haja a expansão. E esse é um jogo de escolhas num Universo em eterna expansão.