Eu realmente solto os remos? Sou livre?

29 de novembro de 2014 por
Publicidade

Daisaku Ikeda Tudo o que me faz resistir ao fluxo de Bem Estar é eu mesmo remar rio a cima. E o que é soltar os remos? O que é todo esse remar rio a cima? O que eu devo parar de fazer? É preciso soltar tudo aquilo ligado a racionalidade criada pelo ego e suas crenças resistentes, que já foram muito bem envolvidas com fortes emoções ligadas a cada vez mais, a falta do fluxo de Bem Estar. O que se deve perceber nessa equação é que as emoções da falta, são realmente muito importantes para eu mesmo perceber e sentir agora; a verdadeira liberdade, a maior felicidade que existe e toda a expansão da alegria, que somos nos mesmos nos amando mais ao voltarmos ao fluxo. Mas, passar mais de 17 segundos sentindo qualquer que seja, uma das emoções ligadas ao lado da falta de Bem Estar, é deliberadamente resistir ao fluxo, é voltar a remar rio acima.

Eu mesmo venho tendo ao longo dos anos muito felizes de minha vida, vários acessos as infinitas informações, porque eu venho sistematicamente pedindo por isso, para assim poder ter o conhecimento e o poder de quem eu realmente sou. E tudo vem apontando para eu mesmo, apenas ser mais geral em tudo e focar mais no que eu realmente quero. A Fonte sempre me deu acesso livre desde pequeno, e a primeira individualização a me responder pela Fonte foi o Daisaku Ikeda, ele me mostrou o mundo mágico da leitura inspirada. Eu adorava os exemplos dele em saber um pouco de tudo, e sobre fazer uma revolução humana, e assim li muitos livros. Outro que mais me marcou como exemplo foi Napolleon Hill, com a sua tenaz atenção e foco no que era mais importante na vida de outras individualizações de sucesso. Outro fantástico foi Nikola Tesla, que me fez; repetir, repetir e repetir na minha cabeça. Se você quer entender o seu Universo, deve prestar muito mais atenção na energia, nas frequências e vibrações. Já o meu jeito despojado me trouxe Osho que adora chocar as outras individualizações, para que elas mesmas se desapeguem do ego. Já o Bashar veio responder ao meu lado intelectual, me mostrando como dominar mais o meu ego e como eu usar mais deliberadamente a sincronicidade positiva e reconhecer de longe a negativa, saindo da armadilha do reforço indesejado. Mas, a minha resposta mais simples, que mais me faz reconhecer quem eu realmente sou, ainda hoje, vem de Jerry e Esther Hicks com os Abraham, que me fizeram conhecer o que é realmente, literalmente soltar os remos.

Antes eu corria em direção para tudo que é racional. Eu passava horas meditando, e pronunciando um mantra budista na frente de um pergaminho, sem saber muito bem o porque. Na verdade eu só estava ali para limpar a minha mente. Eu mesmo fiz muita coisa acontecer com essas informações que acessei direto da Fonte, mas ainda dava muito valor ao fazer e ter antes de ser. Então, minha vida teve muitos altos e baixo, tudo bem, só que é muito melhor passar de faze do que ficar repetindo. Até há pouco tempo atrás, eu ainda procurava fazer coisas antes mesmo de estar me sentindo bem. Então, eu adorava correr atrás de muletas novas; recitar sutras budistas e meditação com mantras prolongados, EFT, Ho’oponopono, Tarô, I ching, numerologia, Feng Shui e tudo mais que aparecia para me fazer voltar a realimentar apenas o ego resistente e minhas crenças limitadas. E tudo isso só tem mesmo serventia em alguns momentos de minha vida, se eu mesmo já estiver me sentindo bem antes de fazer, e se isso por alguns segundos vai me levar mais rápido ao meu próprio Vórtice criativo, onde já estarei seguindo o fluxo e já não preciso mais de nada disso. E como dizem os Abraham… Os seres humanos ainda têm essa ideia completamente errada de que a Fonte não é mais que a expansão ou que a Fonte está acabada e perfeita, e que nós seres humanos estamos agora a trabalhar para alcançar a perfeição como a Fonte. Mas o que realmente está acontecendo é que a Fonte está se expandindo para maiores capacidades de amor por causa de que o homem está vivendo agora e seguindo o único fluxo que existe, o de Bem Estar. “Ser feliz antes de tudo é tudo”.