Você sabe o que é vivenciar?

27 de outubro de 2014 por
Publicidade

cerdadinho Muita gente não sabe o que é vivenciar, ela mesma ainda acredita que precisa passar por todos aqueles acontecimentos, para poderem assim absorver um pouco mais de conhecimento daquilo focado. E todos nós podemos sim, sentir tudo aquilo sem precisar jamais passar por todo aquele aparato, e que muitas das vezes tem alguns aspectos indesejados juntos, porque isso se trata de desejos realizados de outras pessoas, mas que são importantes para a expansão de tudo, e é por isso que eu não preciso fazer de tudo para poder sentir tudo. Afinal é para isso que existem infinitas individualizações na linha de ponta do pensamento…

Essa semana eu assisti algumas vezes o filme “Sem Limites”. A maioria dos filmes que mostram toda essa expansão da consciência, mesmo o mais recente “Lucy”, ainda usam o reforço da sincronicidade negativa, eles tem de justificar essa expansão, eles tem de dar uma recompensa ou fazer algo para que o personagem principal possa merecer toda essa expansão, que é mais que normal é eterna em todo o Universo. Até mesmo esse filme que não me canso de assistir, “Jumper”. Todos tem que responder aos muitos desejos das outras individualizações ainda ligadas nas suas velhas crenças resistentes ao fluxo de energia e informação de puro Bem Estar. Então, a violência, o medo e a morte nesse mundo físico, é um dos requisitos básicos para o enredo dessas tramas. Eu até fiquei muito feliz em ser atendido no filme “Sem Limites”. Afinal o personagem consegue administrar essa expansão sem precisar voltar a resistir ao Bem Estar e continuar nessa experiência física, aqui e agora.

Lucy 2O que eu quero afirmar para mim mesmo nesse meu relato é que, eu posso vivenciar tudo o que eu mais gostei de cada um desses filmes e reescrever uma historia só minha, com tudo o que mais me agrada. Do Jumper, eu posso vivenciar viagens fantásticas com meus filhos, meus netos e meus amigos por todo esse mundão, tudo num piscar de olhos. Que é o que eu já fazia quando a minha mãe me colocava num cercadinho de madeira e me deixava só. Eu viajava por infinitas realidades ali mesmo, só depois que fui crescendo que foram me podando aos poucos, esse meu poder maravilhoso de viajar na imaginação expandindo consciências e infinitas realidades paralelas.

Já o filme “Lucy”, eu como já sei que os átomos dão formas a tudo o que eu mais quero, ao que eu mesmo mais desejo, eu não preciso das drogas para sentir a expansão, nem preciso largar esse mundo físico, só porque eu mesmo acessei agora, infinitas informações livres no Vácuo Quântico. Eu posso usar isso tudo para realizar todos os meus desejos, sem precisar jamais voltar a usar a sincronicidade negativa como reforço das minhas velhas crenças. Eu poderei ser o homem que eu quiser ser, sabendo como tudo funciona a meu prazer, controlando tudo para que seja do jeito que eu quero ainda nessa forma física, apenas porque eu quero.

Sem limites Já o filme “Sem Limites”, me mostra em imagens o que eu já acessei de informação com os Abraham e Bashar, comprovando mais uma vez que eu posso; ser, ter e fazer tudo o que quero, aqui mesmo e agora. Jamais é preciso esperar uma evolução, ou tomar qualquer tipo de droga. Veja bem que, com todo o conhecimento que já temos hoje com a física Quântica, e até de como é formada as nossas crenças, de como as transformamos em crenças dominantes e como elas ditam e recriam a nossa realidade, podemos sim, realizar grandes historias melhoradas de nossas vidas e viver uma vida plena de muito Bem Estar, aqui e agora…