Tudo o que se quer no final de tudo é ser feliz…

4 de julho de 2014 por
Publicidade

Neymar 2014 Ninguém pode ter um final feliz com uma jornada infeliz. Só que as pessoas pensam que essa jornada é física, acreditam que é ficar estudando muito, depois trabalhando duro e resolvendo coisas sem estar feliz, para só depois disso conseguir o que ela quer, ser feliz. E nem percebem que essa jornada é puramente emocional. Elas nem percebem que as pessoas mais felizes, fizeram e ainda fazem apenas essa jornada. Ivete Sangalo seguiu a sua felicidade de cantar, não a trocou isso por dia e noites de estudos, nem mesmo sobre musica e nem trocou sua felicidade de cantar nem que seja em barzinhos, por um trabalho duro por pouco dinheiro para poder sobreviver. Neymar seguiu a sua felicidade de se divertir jogando bola, ele jamais trocou a sua felicidade, por estudar muito, fazer cursinhos e depois trabalhar muito duro para só depois poder jogar um pouco de bola e ser feliz.

Só as pessoas que estudaram muito e que ainda teimam em trabalhar duro e muito, tudo apenas para sobreviver é que tem essa coisa de achar que a manifestação é o final de tudo. Quando eu conseguir isso eu vou ser muito feliz, dizem todos, eu vou dar um duro danado essa semana para no final de semana se não chover eu pegar uma praia e ser feliz… Elas ainda fazem isso, porque foi isso que as suas escolas lhes ensinaram e seus pais como bons alunos confirmaram, mesmo vendo que nada tem final, eles continuam a só sobreviver, sendo felizes em apenas em alguns momentos. E isso acontece porque na verdade nunca existiu um final de nada, tudo faz parte de uma eterna jornada de eterno; desejos, escolhas e Bem Estar. O Universo é puro libido, e nós como linhas de ponta do pensamento da Fonte de energia e informação de Bem Estar que cria mundos, também somos puro Bem Estar desejando sempre mais; alegria, liberdade e expansão de tudo em tudo.

O que temos que entender e conceber é que o desejo nunca é o objeto de desejo. Jamais foi o carro, a minha casa ou minha companheira, um desejo meu, os meus desejos são os mesmos de sempre, o que todo objeto de desejo focado agora poderá me trazer nesse exato momento; de mais felicidade, de mais liberdade e de mais expansão. E para isso é preciso apenas eu mesmo; repetir, repetir e repetir, muitas e muitas vezes, para eu mesmo criar essa crença dominante de que, “circunstâncias não importam, o que importa é a minha felicidade, a minha liberdade, ou seja o que eu estou sentindo agora, nesse exato momento”.