O que é permitir um desejo? Como faço isso?

28 de novembro de 2012 por
Publicidade

A primeira coisa é parar de ser contra o que você não gosta. As pessoas gastam muito mais tempo pensando no que não querem do que naquilo que realmente querem e muito. Hoje eu fico sorrindo quando as pessoas pensam que, por eu não gostar de religião, de escola, e nem é bem da escola em si, é do que eles ensinam e da forma que é ensinado e muito menos de trabalho. Essa palavra então, me dá arrepios… Elas então pensam que eu quero dizer com isso que, todo mundo tem que ser igual a mim. Claro que não, o mundo seria uma merda só, tudo igualzinho, e seria exatamente apenas mais do que as próprias religiões querem e que eu não gosto. Eu apenas quero que me permitam dizer e escolher o que eu quero experimentar.

Só que, até algum tempo atrás eu mesmo não percebia uma coisa, custei muito para conceber que, para isso acontecer eu também teria de permitir eles serem o que eles querem Ser, E como eu também já fui religioso, eu fazia com meus amigos a mesma coisa que quando religioso, eu queria mostrar que eles estavam errados e eu mais perto da felicidade. E o certo é que, ser feliz antes de tudo é tudo. Minha felicidade deve ser igual ao meu amor, a minha paixão… Completamente incondicional.

Quando eu ainda era só pura energia da Fonte do Bem Estar, antes de chegar aqui nesse corpo físico eu jamais pensei: “Vou para aquela experiência física e tomar todas as ideias que já existem e eliminar as que não gosto, e manter apenas poucas, apenas algumas boas ideias que todos nós poderemos concordar e pacificamente coabitar”. Em vez disso eu pensei: “Vou seguir em frente e tomar as ideias que já existem e expandi-las sempre para mais. Vou deixar, ou melhor permitir que o contraste seja sempre mais, para que os meus novos desejos possam também ser sempre mais, de modo que a energia da vida vai ter sempre muito mais avenidas pelas quais possa fluir”.

Nunca é tarde para passar a escolher só que se quer, tudo está bem, eu nunca errei na vida, eu jamais sou culpado de algo, tudo está bem, eu só escolhi experimentar uma coisa que pode ser desejo de alguns e assim ampliar esse desejo para mais, como posso ter feito da mesma experiência um contraste para alguns, que apenas lhes ajudaram a lançar novos desejos, por justamente terem se encontrado com o contraste que produzi. Então, tudo está bem no meu mundo. Vou continuar aqui escolhendo e permitindo tudo, apenas apreciando mais do que já me faz ainda mais feliz, só de pensar.