Eu, como o Eike Batista, não tenho a menor vergonha, eu adoro ser milionário… E eu quero é mais…

24 de junho de 2012 por
Publicidade

A maioria dos empresários brasileiros ainda não acreditam muito que se pode fazer fortuna apenas com uma grande ideia. Ainda temos poucos investidores Anjos no Brasil. Só que esse sonho já inspirou mais de 300 mil pessoas em 90 países, dos quais 6.800 são jovens brasileiros que, assim como eu, já se cadastrou na Apple Store, e no Google, para desenvolver aplicativos para iPhones IOS e smartphones Android. Sem contar com BlackBerry, e Windows Phone.

Em quatro anos de existência, o universo digital portátil já coleciona histórias de grandes sucessos instantâneos. Casos como o do Instagram que vale um bilhão em US$, e isso não é raro, já tem vários com esse mesmo valor de mercado, veja o programador americano Steve Demeter, que rapidamente faturou US$ 2 milhões com um quebra-cabeças em que peças são combinadas com o chacoalhar do próprio aparelho. Ou de Bill Rapos, que conseguiu US$ 1 milhão com uma simples brincadeira de embaçar a tela para que o usuário desenhe com os seus próprios dedos.

Isso até parece muito fácil? Mais é. O jogo de Demeter teve um milhão de downloads e o de Rapos, dois milhões, porque eles criaram depois de estarem muito felizes e continuaram muito felizes ao desenvolver e ficaram ainda mais felizes ao colocarem para rodar, esse é o grande segredo, estar se sentindo bem o tempo todo, atraindo o que se quer.

Embora apenas 10% dos aplicativos da Apple Store alcançem mais de 100 mil acessos. Os outros 79%, tem menos de 10 mil. Sabe o porque? Porque estes caras que os criaram, estavam sem alegria na hora de criar, e resolveram criar apenas para ganhar grana e só depois quem sabe pensar em ser feliz, esse é todo o motivo de seus aplicativos serem apenas mais um, é assim como acontece com a maioria dos jovens que sai da faculdade sem alegria alguma, fez por que disseram que iria dar grana, e se “fu” de verde e amarelo.

O pessoal da Maya Labs, pretendia faturar R$ 3,5 milhões só em 2010. A Nuvem Lab do Recife que atende a Vibreleve.com e a Liber Editora, quer mais, quer faturar US$ 12 milhões esse ano ainda. Aqui mesmo no Brasil há, sim, várias empresas faturando milhões com a onda móvel. Mas nenhuma depende apenas de aplicativos vendidos diretamente ao usuário final. “O segmento mais promissor é o de customização de aplicativos para empresas”.

Se você observar o mercado nacional de soluções móveis corporativas dobra de tamanho a cada ano. Itaú, Bradesco Seguros, CVC e o grupo Ticket investem milhões em aplicativos.


  • http://www.opoderdamente.com Taillard

    Que maximooo!!!
    Feliz da vida! Pra vale!
    Um dia eu chego lá moçada!
    Eitaaa!