Eu quero ajudar uma amiga…

30 de junho de 2011 por
Publicidade

Você quer realmente ajudar alguém, pode ser seu companheiro, sua mãe, seu pai, seu filho ou seu amigo, seja lá quem for, e seja lá o que for que ele esteja passando, ou o que você ache que ele precise de ajuda, pode ser desde uma dor de cabeça a um câncer terminal, pode ser uns míseros trocados para comprar o pão para a família dele, como uma soma em dinheiro que possa ele comprar a sua casa própria.

A sua atenção naquilo que é preciso ser curado, ou arrumado, te mantém na vibração que impede você mesmo, de conseguir qualquer cura ou solução para qualquer coisa, inclusive para você, imagina para outras pessoas!

Quem eu realmente sou, não esse ser físico, esse “avatar” que eu mesmo criei para me divertir aqui nesse planeta Terra, mas, (Deus) a maior parte de mim, que é eterna e que sabe o que eu realmente sei, que sabe que eu sou um Ser maravilhoso, um magnífico criador deliberado e capaz de ser, ter e fazer qualquer coisa nessa vida, esse Ser maravilhoso não físico que sou eu também na maior parte, também sabe que as outras pessoas a minha volta também são esse Ser maravilhoso, e quando o meu eu físico, esse avatar que eu chamo de eu pensa diferente disso, eu me sinto péssimo.

O jeito mais rápido de se ajudar alguém, não importando do que se trata, é encontrar algum aspecto dele (a) em que eu possa genuinamente apreciar.

A apreciação é a melhor ferramenta para solucionar problemas, porque ela fecha lacunas emocionais, porque para apreciar é preciso primeiro eu mesmo estar dentro do meu próprio vórtice criativo, esse redemoinho de emoções positivas, onde se reúnem todos os recursos para realizar qualquer coisa.

Lembre-se! As pessoas refletem de volta pra você, o modo como você se sente, e não quem realmente você é, esse é o poderoso feedback que essa vida lhe dá.