Diário de Bordo – Janeiro 2011

30 de janeiro de 2011 por
Publicidade

Diário de Bordo de Antonio

“A partir de janeiro de 2.011, tive mudanças fantásticas em minha vida. Meus relacionamentos começaram a melhorar inexplicavelmente. Pessoas que antes eram antipáticas, começaram a ficar mais amistosas; depois, passaram a ficar amigáveis, cordiais; o progresso foi surpreendente, pois passaram a ficar cooperativas e amorosas para comigo.”

“Comecei então, a entender, o quanto era importante eu dar intenção a cada segmento do dia. Ao levantar pela manhã, comecei a decretar que AGORA, nesse instante, eu estou despertando para uma nova forma de lidar com a vida, e essa forma é de INCLUSÃO.”

“Apartir de janeiro de 2011, não me preocupei mais em “consertar” os pensamentos negativos. Comecei, apenas, a INCLUIR os positivos, e sempre com a intenção de’les serem os predominantes.”

“Aprendi a fechar os olhos rapidamente, e dizer frases simples e poderosas! Comecei a buscar inspiração em todas as fontes possíveis, e me comprometi somente com uma coisa: ver tudo de forma perfeita, pouco me importando com as evidências da “realidade”. Mandei a “realidade” pra aquele lugar…e passei a pensar, falar e sentir sempre na direção dos meus desejos.”
“Eu parei de “jogar sapatos” na minha “negatividade”. Eu sabia que ela estava ali, pulsando. Mas cheguei a conclusão que “negatividade” é que nem “mau hálito”! Tem é que escovar os dentes todos os dias, mais de uma vez!!!!”

“Logo, passei apenas a dar atenção ao que me faz bem e feliz! Rompi com a televisão, e quando a vejo, na minha mente, converto tudo em positivo.”
“O que passou a me interessar foi em ser o Autor, Diretor e Ator da minha própria novela.”
“Apartir de janeiro de 2.011, descobri a maior diversão da minha vida: minha mente.”

“Agora, a cada momento, eu observo meus sentimentos, e se não estou me sentindo em paz e alegre, não brigo com isso, apenas passo a incluir novos pensamentos, mesmo que sejam tímidos, mas começo, por que eu DESEJO DELIBERADAMENTE fazer o meu coração VIBRAR de felicidade.”

“E eu sigo à minha felicidade.”
“Desde de janeiro de 2.011.”