Arquivo de janeiro de 2011

Você é aquilo que você está pedindo ser

- segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Não gaste mais o seu tempo com o que você viu e sentiu que não gostou, deseje na hora o oposto daquilo, e seja o mais rápido possível, entre na geração WIKI, seja mais deliberado no que você quer, e esqueça de uma vez o que não gostou.

Vivemos num mundo de inclusão, quanto mais você tentar excluir uma coisa qualquer de sua vida, mais volume ela ganha, porque tudo é regido pela Lei da Atração que gerencia tudo o que é semelhante em sua essência.

E sua essência é o que você sente, o que você vibra ao pensar.
Eu criei um carimbo mental com a seguinte frase, “eu quero isso também”.

Em vez de perder o meu tempo valioso criando mais do que eu mesmo estou careca de saber que eu não gosto, eu saio da cama já carimbando tudo que eu desejo, olho e se eu gostar, lasco meu carimbo, “eu quero isso também”.

Na rua é que a diversão aumenta, caracas! É tanta coisa boa pra desejar que eu nem consigo carimbar tudo.

Seja wiki, pare de dar um tempo para as coisas indesejadas…

- segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

A maioria das pessoas que eu encontro no dia a dia, vivem dizendo; isso está ruim, isso aqui não está legal, estou me sentindo mal, se não fosse isso eu me sentiria melhor, se não fosse por Fulano ou Beltrano eu não me sentiria assim tão mal, etc, etc e etc…

É a tal da opressão, do sentir-se oprimido por situações exteriores.

Veja o exemplo das crianças que estão chegando a esse mundo agora, elas são wiki, extremamente rápidas em tudo, os mais velhos, seus pais e avós se espantam com tamanha facilidade com o novo, tem crianças com três anos que sabe mais de computador que muito professor de faculdade. E elas estão sempre querendo mais…

Se nós fossemos tão rápidos quanto elas em pedir ao Universo: Universo eu quero isso, eu quero aquilo, eu quero aquilo outro, por si só já nos equilibraríamos, pois estaríamos creditando ao Universo e à nossa Fonte, à nossa própria escolha deliberada, o bem estar, que é interno e nunca, jamais, será externo.

E assim, o Universo, a partir da nossa própria deliberação, já estaria trazendo para nós, tudo o que nos já pedimos e poderíamos repousar nessa confiança que, por sua vez, traz o bem estar só pelo fato de estarmos criando deliberadamente.

Então, o mal estar não tem nada a ver com as outras pessoas ou coisas, mas, com o fato de que não estamos exercendo a deliberalidade de centrar-mo-nos em nossa Fonte.
Assim, nós não estaríamos sendo rápidos, o bastante, para mudar de posição, de postura pessoal, a fim de criar o contrário à opressão que dizemos sentir.

Quando somos muito rápidos (wiki), praticamos, e não mais nos sentimos oprimidos, pois estamos trabalhando exatamente na criação do contrário daquilo que nos chateia.

E aí, sim, estamos prontos para receber precisamente, agora, pois a recepção do desejado começa exatamente no momento em que começamos nos divertir com aquilo que desejamos pedindo/dizendo ao Universo o que queremos.

Meditação muda a estrutura do seu cérebro

- domingo, 30 de janeiro de 2011

Pesquisas científicas estão comprovando aquilo que os orientais já sabiam há milênios, a meditação é muito mais do que uma simples técnica de relaxamento; a prática regular da meditação altera as estruturas neuronais do cérebro, estimulando as emoções e sentimentos positivos e incrementando as capacidades da mente.

A meditação é objeto de interesse crescente na medicina. Sua indicação está se tornando cada vez mais comum no tratamento e prevenção de doenças imunológicas, do sistema cardiorrespiratório, dos distúrbios do sono, do estresse, da dor.

Médicos começam a adotá-la como técnica complementar no controle da hipertensão e arritmias cardíacas. Desde que foi capa da Time, isso em 2003, o assunto tem sido frequentemente veiculado pela mídia, como no Globo Repórter que mostrou a prática de meditação por médicos e enfermeiros do Hospital de Apoio de Brasília.

A geração WIKI já chegou…

- domingo, 30 de janeiro de 2011


Se prapara mamãe…

Aprender a amarrar o cadarço ou andar de bicicleta não são mais as primeiras lições das crianças. Segundo o estudo “Digital Diaries series” da AVG (empresa de segurança digital), as crianças têm aprendido a mexer no computador antes mesmo de saberem como realizar tarefas simples, comuns a quase todas as crianças do mundo.

O levantamento aponta que 58% das crianças sabem como jogar no computador, enquanto 20% nadam e 25% sabem como andar de bicicleta. Outra conclusão é que 69% delas sabem como usar o mouse, porém apenas 11% amarram o cadarço do tênis.

“Nós ficamos surpresos ao descobrir como a infância das crianças evoluiu. Enquanto boa parte delas não sabe nadar, amarrar o cadarço ou preparar o próprio café da manhã, a maioria sabe como ligar um computador, usar um mouse ou até jogar no computador”, diz o estudo.

No que diz respeito à telefonia, o estudo apontou que 28% dos meninos e meninas sabem fazer ligações no celular, mas apenas 20% têm conhecimento de como ligar para um telefone de emergência, ainda bem que eles isolam a neuras dos pais em se preocupar com o indesejado.

“É verdade que muitos de nós tivemos, durante a infância, televisões, que é uma coisa muito mais destrutiva que construtiva, e alguns poucos videogames que prestavam como o Atari que ainda tinha alguns jogos sem nos ensinar a matar ou a guerrear. Coisa de americano. Mas nenhuma dessas distrações mudou tão drasticamente a infância como o computador e a internet têm feito nos últimos anos”.

O estudo foi feito com 2.200 mães de dez países (Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, França, Alemanha, Itália, Espanha, Japão, Austrália e Nova Zelândia). Todas com filhos de faixa etária de 2 a 5 anos de idade.

Diário de Bordo

- domingo, 30 de janeiro de 2011

O diário de Bordo de Antonio

“A partir de Janeiro de 2011, passei a dialogar com a minha mente”.

Decidi não deixá-la mais sozinha, nem desamparada.
Parei de pensar que pensamentos são “problemas”, “que desgastam”, que palavras não dizem nada!
Comecei a amar cada vez mais essa ferramenta que é a “palavra”!

Me tornei impecável com os meus “dizeres” e “pronunciamentos”, e comecei a vivenciar o que uma palavra forte e alegre, arejada, é capaz de fazer na minha vida.

A partir de Janeiro de 2011, comecei a cuidar dos meus pensamentos, tal como um Rico jardineiro cuida de seu rico jardim.
“Comecei a buscar intencionalmente pelo meu alinhamento.”
“Meu alinhamento…”
“O propósito mais importante da existência, é eu me alinhar com quem realmente eu sou”.

Comecei a compreender a vida por uma ótica simples e direta: – “Estou alinhado?”
Estou aproveitando o meu agora? – Estou vibrando na direção do que quero viver?
Estou focado? Estou compatível?

A partir de Janeiro de 2011, passei a me comunicar com minha mente, e decidi apoiá-la em tudo que ela precisar.
Comecei a dizer pra ela: “Tu é o fenômeno mais poderoso do planeta! Se tu for amada e bem tratada, tu vai me descortinar um mundo magnífico, com todas as surpresas inimagináveis que eu tenho o merecimento de experimentar.

A partir de janeiro de 2011, eu comecei a despertar a mim mesmo e ao mundo, e me permitir ser o Ser maravilhoso que eu realmente sou.

“A partir de Janeiro de 2011, eu passei a seguir minha felicidade…”

Diário de Bordo – Janeiro 2011

- domingo, 30 de janeiro de 2011

Diário de Bordo de Antonio

“A partir de janeiro de 2.011, tive mudanças fantásticas em minha vida. Meus relacionamentos começaram a melhorar inexplicavelmente. Pessoas que antes eram antipáticas, começaram a ficar mais amistosas; depois, passaram a ficar amigáveis, cordiais; o progresso foi surpreendente, pois passaram a ficar cooperativas e amorosas para comigo.”

“Comecei então, a entender, o quanto era importante eu dar intenção a cada segmento do dia. Ao levantar pela manhã, comecei a decretar que AGORA, nesse instante, eu estou despertando para uma nova forma de lidar com a vida, e essa forma é de INCLUSÃO.”

“Apartir de janeiro de 2011, não me preocupei mais em “consertar” os pensamentos negativos. Comecei, apenas, a INCLUIR os positivos, e sempre com a intenção de’les serem os predominantes.”

“Aprendi a fechar os olhos rapidamente, e dizer frases simples e poderosas! Comecei a buscar inspiração em todas as fontes possíveis, e me comprometi somente com uma coisa: ver tudo de forma perfeita, pouco me importando com as evidências da “realidade”. Mandei a “realidade” pra aquele lugar…e passei a pensar, falar e sentir sempre na direção dos meus desejos.”
“Eu parei de “jogar sapatos” na minha “negatividade”. Eu sabia que ela estava ali, pulsando. Mas cheguei a conclusão que “negatividade” é que nem “mau hálito”! Tem é que escovar os dentes todos os dias, mais de uma vez!!!!”

“Logo, passei apenas a dar atenção ao que me faz bem e feliz! Rompi com a televisão, e quando a vejo, na minha mente, converto tudo em positivo.”
“O que passou a me interessar foi em ser o Autor, Diretor e Ator da minha própria novela.”
“Apartir de janeiro de 2.011, descobri a maior diversão da minha vida: minha mente.”

“Agora, a cada momento, eu observo meus sentimentos, e se não estou me sentindo em paz e alegre, não brigo com isso, apenas passo a incluir novos pensamentos, mesmo que sejam tímidos, mas começo, por que eu DESEJO DELIBERADAMENTE fazer o meu coração VIBRAR de felicidade.”

“E eu sigo à minha felicidade.”
“Desde de janeiro de 2.011.”

Diário de Bordo

- domingo, 30 de janeiro de 2011

O diário de Bordo de Antonio

“A partir de janeiro de 2.011, coisas fantásticas começaram a acontecer. Sei lá, comecei a ganhar uma grana tremenda, de diversas fontes. Comecei com essa doidera de me sentir próspero, e derrepente, começou a “chover” na minha horta!”

“Comecei a me visualizar ganhando dinheiro e me sentindo cada vez melhor quando enxergava essa imagem. Daí, eu pensava em outra coisa que me deixava feliz. Por exemplo, eu pensava que tava ganhando muito dinheiro, e logo, em seguida, eu pensava que tava brincando com meu cachorro que adoro tanto.”

“Pensava em dinheiro, e logo em seguida, pensava naquela vez que eu tirei uma boa nota na prova do colégio. Ou aquela vez, que fiz aquele gol bonito. Ou quando ganhei o olhar daquela guria bonita do bairro.”

“Assim, fui criando um estado de espírito de felicidade, olhava pras pessoas na rua, e dizia pra mim mesmo: como essas pessoas são bonitas, e como elas são simpáticas, são acolhedoras!”

“Comecei a imaginar que todo mundo gosta de mim! Passei a ser o ser mais amado do planeta! E tudo começou a ficar fácil, muito fácil…”

“Comecei imaginar que eu tinha tempo pra tudo, que eu tinha o trabalho perfeito, que eu era muito maior que qualquer problema, que eu tinha uma saúde de ferro, que eu sabia me comunicar, que eu era muito sortudo, e assim, transformei minha vida em sucesso em todos os sentidos, em todas as áreas da minha vida, eu passei a tirar nota 10!!!!!!”

“Todos os dias, eu anotava em um papel alguma coisa boa que eu tinha pensado, visto ou sentido, qualquer coisa! E quando eu ia dormir, eu me lembrava de todas as coisas boas do dia, e ia dormir e dizia pra mim mesmo: “eu vou dormir muito bem, e vou acordar alegre e disposto.”

“Quanto mais fiz isso, mais fácil ficou de fazer, e agora, isso se tornou parte de mim, só consigo olhar para o que é bom, tudo é perfeito no meu mundo, e os problemas, ah, eles não me assustam mais! Pelo contrário, cada problema que aparece, é uma inspiração para que eu pense com alegria na solução.”

“Maravilhoso, aquele janeiro.”

Você sabe algum ‘método’ de reverter crenças?

- quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Você conhece algum ‘método’ de reverter crenças?
Tipo… “Não sou boa o suficiente pra isso…” “Não sou inteligente o suficiente…” “Não sou bonita o suficiente…”

Claro que sim, existe um meio muito fácil.

O que á uma crença? É só um pensamento pensado muitas e muitas vezes, não existe meios de se eliminar ou de se excluir crenças, para ela perder seu poder sobre você, é preciso apenas ignorá-la e criar novas crenças, simplesmente pensando, escrevendo, lendo e falando muitas e muitas vezes sobre o que se quer ter como uma nova crença, e se você emotizá-la, envolve-la de fortes emoções, elas viram rapidamente crenças dominantes que anulam qualquer efeito de crenças anteriores.

Lanhouses a um passo da aceitação em CAMPUS PARTY

- quarta-feira, 26 de janeiro de 2011


A partir da esquerda: Luiz Nelson Vergueiro, Nelson Fujimoro, Wagno Oliveira (AACID), Otávio Leite (PSDB-RJ) e Mario Brandão (ABCID). FOTO: Divulgação

Em uma mesa com deputados, membros do governo e de associações representativas do setor, o tema lanhouses foi exibido sem contrapontos, mas sim com uma longa exposição sobre as conquistas nos últimos tempos.

O relator do projeto nº 4.361 que modifica o parágrafo no Estatuto da Criança e do Adolescente que trata do funcionamento de lanhouses (chamadas de “casa de jogos”) chamou atenção para a mudança de visão sobre o conceito sobre elas. “Elas são centros de inclusão digital. Isso avança o modo como as lanhouses são discutidas pelo jurídico brasileiro”, diz.

Foi defendida ainda a proposta de isenção fiscal de equipamentos, softwares e outros tributos aos donos de lanhouses pelo governo. Para que tal ideia tenha efeito é preciso acelerar o processo de regularização e definição jurídica de um modelo de negócio, pondera Nelson Fujimoto, assessor de inclusão digital da presidência da república.

“As lanhouses não vendem só conexão. É preciso um enquadramento técnico para que eles possam receber linhas de crédito e incentivos vindos de fundos públicos”, disse Fujimoto.

Fujimoto disse que o processo de descriminalização de lanhouses já avançou e que o próximo passo é fazer com que as lanhouses sejam encaradas como parceiras da gestão pública pela inclusão digital.

Luiz Nelson Vergueiro, funcionário da Telebrás, comentou sobre as intenções de colocar as lanhouses como parceiras no Plano Nacional de Banda Larga e oferecer boas conexões a preços mais acessíveis, mediante (de novo) regularização dos estabelecimentos. Isso no contexto brasileiro que, segundo pesquisas, apontam que 90% das lanhouses estão na informalidade.

Mario Brandão, presidente da ABCID (Associação Brasileira de Centros de Inclusão Digital) lançou mais números ao debate. Segundo ele, 85% dos usuários de internet pertecentes à classe D e E o fazem por lanhouses. Enquanto apenas 10% da classe A e B se conectam desta forma.

Brandão reforçou a dificuldade em se mudar a imagem desses estabelecimentos e comentou sobre o erro de ver as lanhouses como inimigos. “Telecentros e lanhouses não excludentes. É impossível olhar só os perigos e ignorar os benefícios que as lans podem trazer”, afirmou.

O presidente da ABCID ainda lembrou que as lanhouses podem ser elementos importantíssimos para a educação do país. “Mas de que educação falamos aqui? Ninguém mais precisa decorar com a internet, temos que ensinar como relacionar fatos e a pensar de maneira mais ampla. É um novo momento”, disse.

Por fim comemorou a publicação nesta segunda-feira passada da revogação completa da lei carioca que impedia lanhouses de ficarem a menos de 1 km de “centros de ensino” no Rio de Janeiro.

Minha amiga tem dificuldade de se permitir

- quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Ela me disse que pensa em seu desejo, mas não consegue se permitir, logo em seguida ao se sentir bem pensando no que quer, ela se pega segundos depois a pensar em outras coisas que a fazem se sentir mal, e ela ainda me disse que depois que leu que apenas um pequeno desconforto é abortivo, que é uma resistência ao seu desejo, ela se viu irritada com tudo quando não está pensando no seu desejo.

Eu gosto de ser prático, eu mesmo já tive fases na minha vida assim, tudo me irritava, eu me culpava por determinadas coisas que não deram certo, foi então que eu me lembrei que quando eu escutava uma musica linda que eu adorava, esquecia de tudo, e acabava ficando numa boa comigo mesmo, naquela época não tinha celular, eu comprei um mini gravador, hoje qualquer celular grava voz e reproduz e com isso tudo ficou muito mais fácil.

E eu fiz o seguinte, escolhi minhas musicas prediletas, eu adoro aquelas com solos de guitarra, de violino e de um saxofone, e escrevi o que eu desejava realizado, já como realizado e gravava em cima das musicas, bem no meio da musica, e depois de tudo pronto, eu pegava meu fone de ouvido e colocava pra tocar e saia pelas ruas andando e ouvindo e cumprimentando todo mundo que passava por mim, sorria para os caras que estavam parados na frente de suas lojas, para os funcionários, cada sorriso que eu recebia de volta era como se essa pessoa estivesse me parabenizando pelo meu sucesso, e eu andava pela Av. Alberto Braune todinha, ida e volta e ainda andava pelos jardins da praça Getulio Vargas , e foi assim que eu consegui transformar Friburgo na “Capital da Moda Intima”, numa época em que as pessoas riam na minha cara quando eu ousava dizer para alguém que esse era meu sonho, os políticos zuavam da minha cara, até os confeccionistas tinham vergonha do que faziam, e eu andei imponentemente alguns meses sendo cumprimentado por quase todo o comercio e as pessoas da minha cidade pelo meu sucesso, sem que nenhum deles soubessem que eu já era um vitorioso na minha mente.

E foi assim que eu me permiti ser um criador poderoso, mesmo tendo uma cidade inteirinha a minha volta completamente triste, com suas falências, as fabricas de autopeças quebrando, a grande fabrica Ypu falindo, a poderosa Haga sendo sucateada, a Filó que é a Triumph mandando centenas de pessoas embora, o comercio quebrando, não tinha pra quem vender e nem como receber seus crediários, o Collor e a Zelia tinham segurado o dinheiro de todo mundo e por ai vai, e eu venci isso tudo sozinho.

Isso é fantástico, isso é ser, ter e fazer tudo que se quer.