PALAVRAS REALMENTE NÃO ENSINAM.

14 de setembro de 2010 por
Publicidade

O verdadeiro conhecimento vem da experiência de vida e essa é a razão pela qual devemos estar constantemente engajados em experimentar de tudo, a começar criando pequenas coisas na nossa vida, como fazíamos quando éramos criança, desejávamos um doce e ele aparecia, desejávamos um brinquedo e ele vinha, desejávamos uma bicicleta e quanto maior fosse esse desejo, lembro de passar a noite sonhando acordado com a bike, mais rápido esse desejo vinha, meu pai podia estar duro, a minha mãe não trabalhava na época, ao contrario socava todo o dinheiro que sobrava na igreja e nas revistas, mas, eu desejava sim, nem ouvia minha mãe dizer que não tinha mais dinheiro, que tinha que viajar para um congresso, que se danasse o mundo e as religiões, eu queria fazer da minha vida, uma vida repleta de liberdade, felicidade e expansão, e lá estava minha bike, linda, podia durar só uma semana, que se dane o mundo, mas, eu desejei, permiti e recebi o que pedi. E isso sim é ser feliz.

 Botei cinco em cima dela e desci o morro a mil, caímos e nos arranhamos, a bike lá no fundo do quintal, toda amassada, mas, todos nós estávamos felizes, que experiência doida e fantástica!

 São os meus pensamentos e meus anseios que, movimentam a criação e o cumprimento de tudo o que eu desejo. Do mesmo modo que, meus pensamentos, ao considerar aquilo que não quero, movimentam toda a criação e o cumprimento de tudo o que eu não quero. O princípio é sempre o mesmo.

 Observe com atenção se os seus pensamentos caminham em direção ao que você quer ou ao que você não quer, na direção do que o excita e o agrada ou na que lhe desperta medo e desagrado.

 Todo pensamento tem poder criativo.

 Se você analisar a sua experiência de vida a partir desse novo prisma, desse novo ponto de vista, reconhecerá, imediatamente, como é que vivenciou ou ainda vivencia, ou seja, o que você trouxe para sua experiência de vida, pensamento por pensamento.

 Cada pensamento tem um poder inerente e todos brotam da sua mente, mesmo sem a presença de uma emoção significativa. Mas eles não são iguais no que se refere à habilidade criativa ou a velocidade com que algo desejado ou não se transforma em realidade. Há um fator diferencial importante nessa equação.

 Os pensamentos que você vivencia com grande emoção são sempre os mais poderosos: sejam positivos, na direção do que você deseja, e carregados de emoções positivas, sejam eles negativos, na direção do que você não deseja, portanto, cheios de emoções negativas.

 A força da emoção presente interfere na rapidez com que aquilo vai se concretizar.

 Resumindo o Processo Criativo: entenda que todo e qualquer pensamento cria, e quanto mais emoção estiver presente, mais rápida será a concretizarão do que foi idealizado.

 Quando você entender de verdade o que acabou de ler, ficará muito claro o que você atrai para sua própria vida.

 Nada melhor do que olhar para seu passado e lembrar o que criou para reconhecer, sem nenhuma exceção, que tudo teve origem nos seus pensamentos.

 Quando você está deliberadamente decidindo que quer alguma coisa e tem absoluta consciência disso, a criação ocorre em sua plena forma, mas quando você pensa no que não quer e permanece concentrado nisso, também cria, embora seja por omissão  no sentido exatamente oposto ao que realmente pretende ter.

 A maioria das pessoas no mundo, hoje, agora mesmo, estão criando mais por omissão, em vez de fazê-lo por intenção consciente e deliberada.

 É preciso estimular seus pensamentos, para que eles tenham um completo entendimento de como ocorre à criação. E quando todos entenderem bem isso, que a criação depende deles mesmos, terão mais possibilidade de controlar efetivamente suas vidas.


  • http://vibreleve Luciano

    Ola Eduardo, sabe que acompanho diariamente este site, e procuro ler tudo que é postado e hoje preciso deixar um recado.

    De tudo que ja li este foi o unico que nao concordei, achei que o inicio esta fora do que o site esta tentando passar, este exemplo passou pra mim, uma total falta de controle dos pais sobre o filho, que deseja algo que estava fora do alcance financeiro dos pais, mas por ser derepente mimado deixavam de comprar algo que realmente era importante pra satisfazer os desejos do filho birrento, deixando de mostrar para o filho e dar o real valor tambem do dinheiro, se desejou , se alcançou então DE VALOR PELO QUE ALCANÇOU, e nao depois de conquistado estraga o `brinquedo` e ta tudo bem, porque foi só pra ralar os joelhos e depois joga fora algo que foi tao desejado pela criança e suado pelos pais. PRA MIM AS PALAVRAS ENSINAM SIM.

  • http://www.facebook.com/people/Eduardo-Billy/1352103405 Eduardo Billy

    Luciano,
    Ter sua opinião é muito bom, eu só dei o meu ponto de vista, e veja como somos diferentes em pensar num mesmo tema, entenda bem, não quero ser igual a você e nem quero que você seja igual a mim, isso que é permitir, é apreciar as diferenças, eu por exemplo, vejo seu relato pelo minha perspectiva mais ampla, eu já não acho que para ser pai é preciso ter controle sobre o filho, isso é o que a sociedade impregnou nas consciências das pessoas criando regras pra tudo, até para onde não é preciso, por isso temos tantas leis que nunca funcionaram e muitas outras que nunca funcionarão mesmo, a outra coisa que penso diferente é que meu desejo, ou o desejo do meu filho, o meu só depende de mim e o dele só depende dele mesmo, ele não precisa da minha ajuda, ele é um criador tão fantástico quanto você e eu, assim como nunca dependi de ninguém para criar coisas na minha vida, eu desejo e elas aparecem, são primeiros mais pensamentos meus mesmo, depois pessoas que pensam em coisas semelhantes, e depois coisas que aparecem, e depois vem os eventos que farão parte na materialização desse meu desejo co-criado.
    Outra diferença grande é, ao que dar o devido valor, eu costumo dizer e não é da boca pra fora não, eu vivo assim, caro pra mim é gastar 0,10 centavos e não ficar satisfeito, eu posso comer a mesma bala e pagar mil reais por ela e não achar caro, porque minha alegria está em primeiro lugar, eu não fico alegre só quando consigo as coisas, eu consigo as coisas porque sou alegre, entende?
    Agora vem a parte que mais somos diferentes, eu nunca acreditei que é preciso ralar para ter as coisas, por isso elas sempre vem fácil pra mim, ninguém precisa ralar para conseguir algo que deseja, se você conseguir ser muito feliz só com o seu desejo, mesmo com ele ainda não realizado, você colocou as forças da natureza para realizá-lo e para isso vir a se manifestar, para ser sincero com você, já não precisa nem mesmo de você, porque ao desejar você já a fez existir, e a sua a minha vibração é sentida em qualquer lugar do planeta, é por isso que, em vários lugares do mundo, na mesma época várias pessoas pensaram em criar aviões, Santos Dumon aqui e os irmãos Wright, com o telefone foi a mesma coisa e outras coisas que podemos encontrar e ver hoje pela internet como foi a sua criação, o cara que mais estava feliz com sua criação foi o que mais rápido reuniu mais pensamentos, mais pessoas, mais coisas e mais eventos para a sua criação e a registrou como sua, mas, quem pode afirmar que foi ele o primeiro a pensar? Eu posso te garantir que ele foi o primeiro a vivenciar sua criação, antes mesmo dela existir.
    Podemos trocar mais idéias, eu ficaria aqui a noite toda escrevendo, rssss
    Boas vibrações.

  • Maria

    Eu sou nova aqui, e estou adorando tudo q estou lendo… Achei exatamente o contrário do Eduardo quando colocou q o texto está fora do proposto, talvez pq tenha feito uma leitura diferente.
    No momento em q li não foquei minha atenção pra os “erros” cometidos pelos pais, ou na criança mimada, li com foco na mensagem transmitida dentro do proposto aqui. O que absorvi do texto foi q se voltarmos pra nossa infância, vamos ver q estamos esquecendo do grande poder de obter o q desejamos ….ora quantas vezes não desejei a boneca q era a sensação do momento e então pedia, e não aceitava as justificativas negativas rsrs, sentava e me imaginava brincando com a mesma, até nome dava, falava para meus pais q estava preparando a caminha, roupinhas da tão sonhada boneca e uauuuuuuu em um dia mágico para mim, lá estava ela, e depois outra e outra…..Não que eu fosse “birrenta”, mas aqueles eram os meus desejos.
    Me chamou também a atenção para um cuidado maior já que mesmo vivendo uma outra idade, não estamos livre de possuir desejos momentâneos, aqueles q sem refletirmos as conseqüências, podemos trazer para nossas vidas algo q vai nos machucar ( “os arranhões do tombo”) e só depois do estrago feito vamos ver q era apenas um capricho. E isso com certeza será um prejuízo muito maior q uma boneca ou uma bicicleta encostada, ou um gasto extra no orçamento familiar.
    Para mim foi de grande ajuda, pq viajei para o mundo do “faz de conta” me lembrei de um livro q ganhei quando estava nas minhas primeiras leituras “Poliana menina”, me lembrei o quanto já fui PODEROSA, MEU DEUS QUANTAS COISAS JÁ CONSEGUI APENAS DESEJANDO E ACREDITANDO Q VIRIAM PARA MIM me deu uma vontade tão grande de voltar a ser……
    Enfim, de minha parte só tenho a agradecer o texto postado já que esse abriu uma porta para que eu resgate o muito que sou.

  • Maria

    Troquei os nomes, minha opinião é contrária à do Luciano. Perdão pelo erro. Parabéns pelo texto Eduardo.